pub

Algarvia vence três vezes prova europeia

Joana Schenker Faz História no Miss Sumol Cup

Joana Schenker venceu a etapa europeia do Miss Sumol Cup pelo terceiro ano consecutivo (®MissSumolCup)
Joana Schenker venceu a etapa europeia do Miss Sumol Cup pelo terceiro ano consecutivo (®MissSumolCup)
pub

Joana Schenker (Associação de Bodyboard) ganhou este domingo, 21 de agosto, a 2ª Etapa do circuito europeu de bodyboard feminino ETB, no âmbito do evento Miss Sumol Cup, em Ílhavo, na Praia da Costa Nova. A bodyboarder algarvia, bicampeã nacional e europeia de bodyboard em título, é a primeira atleta a ganhar por três vezes a prova europeia incluída no evento feminino português.

“Naquela praia, as coisas correm-me mesmo bem”, disse Joana Schenker, ao Swell-Algarve. A atleta de Sagres teve uma prestação perfeita na 12ª edição do Miss Sumol Cup, vencendo todas as baterias que disputou na 3ª Etapa do Circuito Nacional de Bodyboard Feminino (ver notícia), que ganhou pelo segundo ano consecutivo; e na 2ª Etapa Feminina ETB, que venceu pelo terceiro ano consecutivo.

Além de ter ganho as duas provas com vitórias em todos os ‘heats’, Joana Schenker realizou também as melhores ondas nos dois campeonatos: uma onda de 7,50 pontos na final da etapa nacional, na sexta-feira; e uma onda de 9 pontos nas meias-finais da etapa europeia, este domingo. Nesta prova europeia, a atleta algarvia ‘marcou’ também a segunda melhor onda da etapa, uma onda de 8 pontos na final, que muito contribuiu para a vitória da atleta.

Joana Schenker após a vitória na etapa europeia no Miss Sumol Cup 2016 (®MissSumolCup)

Joana Schenker após a vitória na etapa europeia no Miss Sumol Cup 2016 (®MissSumolCup)

“Estava muito ansiosa. Já tinha ganho duas vezes e não pensava que ia ganhar outra vez”, comentou Joana Schenker, para o Swell-Algarve. As condições brutas do mar no sábado, obrigaram a organização a encurtar a prova europeia, concentrando-a na íntegra este domingo, o que não facilitou a ansiedade da atleta algarvia. A final da prova repetiu o elenco da final nacional disputada dois dias antes: Joana Schenker, Teresa Almeida, Marta Leitão e Rita Pires.

“A final foi muito difícil. Vinham umas ondas boas no meio da confusão da espuma branca e da corrente, mas estava difícil remar para fora, porque a corrente estava mesmo muito forte”, recordou Joana Schenker. A organização fez baterias de meia-hora, deu dez minutos às atletas para remarem para fora e cumpriu intervalos entre fases, para recuperação das competidoras. Mas a tarefa das atletas foi dura.

Depois de levar 15 minutos a remar para fora, Joana Schenker esteve 10 minutos sem fazer ondas na final. “Queria começar com uma onda boa, porque estava difícil remar para fora”, disse a atleta. As primeiras escolhas não foram boas. A algarvia apanhou duas primeiras ondas que fecharam e viu as adversárias adiantarem-se no marcador.

Finalistas protagonizaram uma final muito bem disputada, apesar da forte corrente no mar (®MissSumolCup)

Finalistas protagonizaram uma final muito bem disputada, apesar da forte corrente no mar (®MissSumolCup)

“A meio do heat, pensei que já estava arrumada”, confessou a bodyboarder de Sagres. Rita Pires e Teresa Almeida discutiam a liderança e Marta Leitão começava a entrar na luta. “Só apanhei uma onda boa (8 pontos) a dez minutos do fim. Depois fiz uma de três pontos e tal. Estive líder por pouco tempo, porque a Rita voltou a passar para a frente”, recordou Joana Schenker.

A vitória algarvia surgiu nos instantes finais. “A menos de um minuto do fim, fiz um rollo de 5,60 pontos e passei para a frente. Tive sorte”, reconheceu Joana Schenker. A atleta Rita Pires, de regresso à competição após uma longa temporada na Indonésia, terminou em 2º lugar. “Eu já sabia que a Rita tinha voltado. Sempre foi uma grande atleta e é uma das minhas melhores amigas. Ela é sempre candidata a vencer em qualquer prova que participe”, elogiou Joana Schenker.

Depois da vitória no 12º Miss Sumol Cup – “o melhor campeonato que nós, raparigas, temos”, diz Joana – a atleta algarvia isolou-se no comando dos circuitos nacional e europeu, com vitórias em todas as etapas disputadas. “Estou numa posição mais confortável e isso retira pressão, mas não está nada ganho. Não vou descansar; tenho que lutar em cada heat. Não faço contas adiantadas”, concluiu Joana Schenker.

Resultado Final 2ª Etapa Feminina ETB

1. Joana Schenker (13,60 | 8,00+5,60)

2. Rita Pires (13,00 | 7,00+6,00)

3. Teresa Almeida (11,25 | 6,25+5,00)

4. Marta Leitão (9,60 | 5,50+4,10)

Comentários