pub

Vans World Cup | QS 10000 | World Surf League

‘Kikas’ Entra Bem em Sunset Beach

Frederico Morais na entrevista de vencedor na Ronda 2 do Vans World Cup (®screenshot)
Frederico Morais na entrevista de vencedor na Ronda 2 do Vans World Cup (®screenshot)
pub

Uma entrada de leão. O português Frederico Morais deu ontem início à competição que lhe pode garantir um lugar entre a elite mundial do Championship Tour no próximo ano. ‘Kikas’ venceu a sua bateria na Ronda 2 do Vans World Cup e fez a terceira melhor pontuação (15,33) e a terceira melhor onda (8,50) da ronda. Uma exibição segura e sólida em ondas de três metros em Sunset Beach, Oahu, Hawaii. “O homem está numa missão”, concluíram os comentadores do ‘webcast’ da World Surf League.

Depois do 2º lugar no Hawaian Pro 2016 (QS 10.000), Frederico Morais chegou a Sunset Beach no 10º lugar do ‘ranking’ QS Internacional, dentro do Top 10 que dá acesso ao CT. ‘Kikas’ só depende de si, para chegar ao principal circuito do surf mundial, mas não pode vacilar; tem de defender bem a sua posição porque há mais de 40 surfistas ainda com hipóteses matemáticas de conseguir chegar à qualificação.

Frederico Morais teve entrada direta na Ronda 2 do QS 10.000 Vans World Cup. O português já havia beneficiado com a Ronda 1, mesmo sem entrar na água, porque foi eliminado nessa primeira fase o brasileiro Tomás Hermes, que ocupava o 11º posto no QS Internacional. Ontem, a prova foi reatada após alguns dias de espera.

Com ondas de três metros, um cenário clássico e difícil de domar em Sunset Beach, Frederico Morais venceu a sua bateria com total segurança, tendo sido o primeiro surfista a conseguir notas altas nas ondas grandes que serviram ontem a competição.

‘Kikas’ esperou por uma onda se ‘set’ e abriu as suas contas com uma nota 6,83. Logo de seguida, quando ainda remava para o ‘outside’, apanhou segunda onda e marcou mais 6,17 pontos, o que o deixou tranquilo a metade do ‘heat’. Os adversários ficaram nesse momento em combinação (a precisar de duas ondas) e o surfista português pôde descontrair e escolher a melhor onda, para fechar a sua contagem com 8,50 pontos. Foi uma exibição totalmente dominadora.

Por ter vencido o seu ‘heat’ na Ronda 2, Frederico Morais escapou ao confronto com John John Florence na Ronda 3. Os dois protagonizaram um tremendo duelo na final do Hawaiian Pro, terminando empatados em pontos, mas com vantagem para o hawaiano campeão do mundo por ter a melhor onda para desempate (ver notícia).

O Vans World Cup deve ser retomado hoje (sábado, 3 de dezembro, a partir das 18h00 de Lisboa), uma vez que as previsões são favoráveis. ‘Kikas’ vai competir na 7ª bateria da Ronda 3, contra Keanu Asing (competidor CT), Kanoa Igarashi (competidor CT) e Tanner Gudauskas. Aqui, o português enfrenta concorrentes diretos para a qualificação, como Igarashi, que é 3º no QS e 24º no CT (fora do top 22 que garante a permanência) e Gudauskas, 19º no QS, a menos de 4 mil pontos de distância de ‘Kikas’.

Hoje é um dia importante. Se passar para a Ronda 4 (ronda de 32 atletas) no Vans World Cup, Frederico Morais tem, praticamente, garantida a qualificação para o CT 2017. A qualificação é certa se chegar à Ronda 5 (quartos-de-final). Nesse caso, Frederico Morais será o segundo português a conseguir chegar ao CT e deverá ser convidado para competir em Pipeline, na última prova do CT 2016, a partir de 7 de dezembro. É que, com bons resultados no Hawaiian Pro e no Vans World Cup, Frederico Morais fica na discussão pela Triple Crown e a World Surf League tem de o deixar competir na terceira prova do cobiçado troféu havaiano.

Comentários