pub

Candidatos não concordam com continuação das eleições

Lista A Abandona Ato Eleitoral no Naval de Portimão

Estão agendadas três horas de votação sábado, 2 de junho, para concluir o ato eleitoral na sede do Clube Naval de Portimão. Lista A desistiu por considerar que deveriam ser marcadas novas eleições (®PauloMarcelino/arquivo)
pub

A Lista A “não participará” no ato eleitoral para os Órgãos Sociais do Clube Naval de Portimão agendado para amanhã, sábado 2 de junho, entre as 10:00 e as 13:00. A lista anunciou hoje a sua recusa em participar nas eleições por não concordar com o sufrágio de sábado, defendendo a convocatória de novas eleições após a interrupção da assembleia eleitoral do passado dia 26 de maio, decretada pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube, por “suspeitas de graves irregularidades”.

As eleições foram disputadas por duas listas. A Lista A é dirigida por Miguel Farinha e integra outros elementos da Direção cessante. José Casimiro, presidente da Mesa da Assembleia Geral é candidato ao mesmo cargo pela Lista A. O atual presidente do clube, Tito Januário, não integra qualquer lista.

A Lista B é dirigida por João Rosa e tem como candidato a vice-presidente o multicampeão de windsurf Miguel Martinho. Esta foi a lista que mais recorreu a procurações de voto no dia das eleições.

As eleições foram interrompidas por José Casimiro, dia 26 de maio, alegando “suspeitas de graves irregularidades que põem em causa o bom nome do Clube Naval de Portimão”. As suspeitas estão relacionadas com votos de sócios sem a situação financeira regularizada, obtenção de procurações de votos “de forma suspeita” e representação de sócios sem capacidade de votação (ver notícia).

A decisão de interromper as eleições foi tomada a menos de três horas do encerramento da votação. A urna foi colocada na sala da direção pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral, que depois disso abandonou a sede do clube. O presidente cessante, Tito Januário (que não é candidato em qualquer lista) reuniu com os representantes das listas e foi decidido colocar a urna à guarda da Polícia Marítima.

Segunda-feira, 28 de maio, a Direção cessante reuniu e decidiu que a matéria está sob a jurisdição da Mesa da Assembleia Geral. Terça-feira, dia 29 de maio, o presidente da MAG, José Casimiro, reuniu com os representantes das duas listas concorrentes. Nessa reunião, ao início da tarde, ficou decido continuar o ato eleitoral sábado, 2 de junho, apenas durante as três horas que faltava para terminar, no caso entre as 10:00 e as 13:00 (ver notícia).

Esta sexta-feira, véspera do ato eleitoral, a Lista A emitiu um comunicado, anunciando que não irá participar no ato eleitoral de sábado. “A Lista A não participará do dito “sufrágio” do dia 2 de junho, tendo sido solicitado ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral que desse conhecimento dessa posição a todos os sócios”, lê-se no comunicado.

“A legalidade e a regularidade dos procedimentos eleitorais só poderão ser asseguradas, com a devolução da palavra a todos os sócios do Clube Naval de Portimão, com nova convocatória eleitoral a ser enviada por escrito aos sócios, conforme prescrito no Regulamento Geral Interno do Clube”, alega a Lista A, no comunicado ao qual o Swell-Algarve teve acesso.

A Lista A não queria a continuação do ato eleitoral, queria a convocatória de novas eleições. Além de anunciar a não participação no ato eleitoral de 2 de junho, a Lista A esclarece que foram solicitadas averiguações formais  às entidades públicas competentes. “Foi solicitado ao Ministério Público a averiguação das situações ocorridas e, em consequência a averiguação da validade do Ato Eleitoral de 26 de maio. Disso foi, formalmente, dado conhecimento à Capitania do Porto de Portimão, na pessoa do Exmo. Sr. Capitão do Porto de Portimão”, lê-se no comunicado.

Comentários