pub

Votação continua sábado 2 de junho

Processo Eleitoral Retomado no Naval de Portimão

Eleições na sede do Clube Naval de Portimão vão ser concluídas sábado 2 de junho, entre as 10:00 e as 13:00, sem estarem averiguadas as suspeitas de fraude que fundamentaram a interrupção do ato eleitoral no sábado passado (®PauloMarcelino/arquivo)
pub

O Clube Naval de Portimão anunciou esta terça-feira que o ato eleitoral para a escolha dos Órgãos Sociais do clube vai ser retomado no próximo sábado, 2 de junho, entre as 10:00 e as 13:00. A decisão foi divulgada em comunicado assinado pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral, após reunião com elementos das duas listas concorrentes e o presidente da Direção cessante. José Casimiro não comentou as suspeitas de irregularidades que o levaram a interromper a votação no passado sábado.

As eleições, dia 26 de maio, foram interrompidas por José Casimiro quando faltavam cerca de duas horas e meia para encerrar o período de votação. O presidente da Mesa da Assembleia Geral alegou na altura suspeitas de “graves irregularidades”, sobretudo, relacionadas com procurações de voto (ver notícia). A urna com os votos já expressos foi selada e ficou à guarda da Polícia Marítima.

José Casimiro alegou, na altura, que iria ser aberto um processo de averiguações interno e que as suspeitas de irregularidades seriam comunicadas ao Ministério Público. Segundo o Swell-Algarve apurou, as averiguações e a participação não vão avançar para já, esperando-se pelo final do acto eleitoral, após o qual qualquer das listas tem o direito estatutário de recorrer à impugnação e suscitar averiguações.

As eleições são disputadas por duas listas. A Lista A é dirigida por Miguel Farinha e integra outros elementos da Direção cessante. José Casimiro é candidato presidente da Mesa da Assembleia Geral pela Lista A. O atual presidente do clube, Tito Januário, não integra qualquer lista.

A Lista B é dirigida por João Rosa e tem como candidato a vice-presidente o multicampeão de windsurf Miguel Martinho. Esta foi a lista que mais recorreu a procurações de voto no dia das eleições.

A interrupção das eleições abriu uma crise no clube. Logo no primeiro dia, o presidente do clube mediou um acordo com as duas listas, para colocar a urna à guarda da Polícia Marítima, e convocou uma reunião da Direção cessante, para segunda-feira à noite.

Nessa reunião de Direção, Tito Januário telefonou a José Casimiro, solicitando-lhe que marcasse uma reunião com elementos das duas listas concorrentes. O assunto retornou assim à esfera da Mesa da Assembleia Geral, considerando a Direção que não tem jurisdição nessa matéria.

O presidente da Mesa da Assembleia Geral marcou a reunião com as listas para esta terça-feira à noite, mas o encontro foi antecipado para as 13:00, na sede do clube e também com a presença do presidente cessante. Nesta reunião foi decidido retomar o acto eleitoral (considerando os votos já expressos e dar continuidade apenas pelo tempo que faltava para terminar) e marcada data – 2 de junho – para o efeito.

O processo eleitoral vai ser concluído. Ficará ao critério da lista derrotada se recorre ou não ao expediente da impugnação e consequentes averiguações. Mas falta perceber melhor as alegadas irregularidades que levaram o presidente da Mesa da Assembleia Geral a interromper o ato eleitoral. Para tomar uma decisão tão radical, José Casimiro teria, certamente, suspeitas bem fundamentadas. Para já, ninguém comenta.

Comentários