pub

'Challenge' faz ligação em 3 dias, 6 horas, 39 minutos e 45 segundos

Luís Brito Termina Sydney-Hobart Mais Rápida de Sempre

Tripulação do Challenge - com Luís Brito de camisola branca - festeja a chegada a Hobart (®DR)
Tripulação do Challenge - com Luís Brito de camisola branca - festeja a chegada a Hobart (®DR)
pub

O velejador algarvio Luís Brito concluiu ontem a famosa regata australiana Rolex Sydney to Hobart Yacht Race 2016′ a bordo do Challenge, o mais famoso modelo Sydney 38 na Austrália e o único na frota de 89 veleiros que realizou este ano a mítica travessia marítima. Foi a mais rápida edição da prova de que há memória. O Challenge, no qual navegou também o português Frederico Melo, completou a ligação de 628 milhas náuticas entre as duas cidades australianas em três dias, seis horas, 39 minutos e 45 segundos.

A 72ª edição da Regata Sydney-Hobart foi a mais rápida de sempre. A frota de 89 veleiros largou do Porto de Sydney no dia 27 de dezembro. O primeiro veleiro a completar o percurso de 628 milhas náuticas (1.163 quilómetros) chegou a Hobart no dia seguinte. O Perpetual Loyal realizou o percurso em 1 dia, 13 horas, 31 minutos e 20 segundos, estabelecendo um novo recorde da prova. O mais rápido deste ano retirou 4h51m52s ao anterior recorde, estabelecido em 2012 pelo Wild Oats XI, oito vezes vencedor absoluto da prova, que não conseguiu completar a regata este ano.

O Perpetual Loyal é um veleiro de 100 pés, considerado o ‘supermáxi’ mais rápido do mundo. Foi 2º a cortar a linha de chegada em 2013 e não conseguiu terminar as duas anteriores edições da prova. Este ano integrou na tripulação, como ‘co-skipper’ e tático, o velejador Tom Slingsby, tático e ‘team manager’ da famosa equipa de vela Team Oracle USA e esmagou o recorde da prova.

O Challenge em treinos, em Sydney, a poucos dias da largada para Hobart (®LachlanMurnaghan/MurnaghanMedia)

O Challenge em treinos, em Sydney, a poucos dias da largada para Hobart (®LachlanMurnaghan/MurnaghanMedia)

A janela de prova da regata prolonga-se até 8 de janeiro, mas todos os veleiros em prova já chegaram a Hobart. O último a atracar na Doca Constitution foi o vetusto Landfall, de 1935, que não tinha conseguido terminar nos últimos dois anos. Foi o último dos quatro veleiros que chegaram hoje a Hobart. A frota inteira já está em terra e os tripulantes prontos para celebrar uma bem merecida passagem de ano.

O Challenge foi 55º classificado em tempo absoluto (‘line honours’), 45º em tempo corrigido IRC, 12º na Divisão 3 IRC, 29º em tempo corrigido ORCi e 8º na Divisão 3 ORCi. “Estou muito orgulhoso da tripulação. Foi fantástico”, disse o ‘skipper’ do Challenge, o milionário da internet Chris Mrakas, após a chegada a Hobart. Foi a segunda participação consecutiva de Luís Brito na prova a bordo do Challenge. O algarvio foi considerado pelo próprio Mrakas como um dos mais importantes tripulantes a bordo.

Algarvio Luís Brito, à direita, a bordo do Challenge durante a Sydney-Hobart 2016 (®DR)

Algarvio Luís Brito, à direita, a bordo do Challenge durante a Sydney-Hobart 2016 (®DR)

A Regata Sydney-Hobart é, talvez, a mais famosa regata no Mundo. O percurso pela Costa da Nova Gales do Sul e no Mar da Tasmânia é tecnicamente difícil, mas os ventos e o clima foram este ano muito favoráveis. O Perpetual Loyal estabeleceu um novo recorde e foi o primeiro a chegar a Hobart, mas o vencedor da prova, em tempo corrigido, foi o Giacomo, segundo a chegar a Hobart, também mais rápido que o tempo do recorde de 2012. O Giacomo é o primeiro veleiro da Nova Zelândia em 36 anos a conseguir vencer a prova australiana.

Comentários