pub

Qualificação Paralímpica era objetivo no Mundial na Austrália

João Pinto Fica a 33 Pontos do Sonho

João Pinto e o treinador Luís Brito, a dupla algarvia que lutou na Austrália pela qualificação de Portugal para os Jogos Paralímpicos Rio 2016 (®VelaSolidaria)
João Pinto e o treinador Luís Brito, a dupla algarvia que lutou na Austrália pela qualificação de Portugal para os Jogos Paralímpicos Rio 2016 (®VelaSolidaria)
pub

O algarvio João Pinto foi o melhor português no Campeonato do Mundo de Vela Paralímpica, que terminou esta quinta-feira, 3 de dezembro, em Melbourne, Austrália. O velejador da equipa Vela Solidária / Iate Clube Marina de Portimão concluiu o mundial em 26º lugar na Classe 2.4mR, a escassos 33 pontos de alcançar o sonho da qualificação de Portugal naquela classe individual de vela para os Jogos Paralímpicos Rio de Janeiro 2016.

A qualificação de Portugal para os Jogos Rio 2016 era o principal objetivo dos três velejadores portugueses que participaram no Mundial na Austrália: João Pinto, Manuel Soares e Fernando Pinto. Estavam em jogo sete vagas nacionais ainda em aberto na Classe 2.4mR para os Jogos Paralímpicos. João Pinto foi o melhor português (26º numa frota com 48 barcos) e ficou próximo (a 33 pontos) do neozelandês Paul Francis (21º), que conquistou para a Nova Zelândia a última das sete vagas disputadas em Melbourne.

Áustria, Argentina, República Checa, Itália, Suécia e Espanha foram os restantes países que garantiram agora presença nos Jogos Paralímpicos, juntando-se aos oito países – Austrália, Canadá, Finlândia, França, Alemanha, Reino Unido, Noruega e Estados Unidos da América – que já estavam qualificados antes do Mundial.

Frota 2.4mR em ação em Melbourne, vendo-se a vela algarvia POR 5. No dia 1 de dezembro, João Pinto fez 4º lugar na primeira regata do dia; o seu melhor resultado no Mundial (®VelaSolidaria)

Frota 2.4mR em ação em Melbourne, vendo-se a vela algarvia POR 5. No dia 1 de dezembro, João Pinto fez 4º lugar na primeira regata do dia; o seu melhor resultado no Mundial (®VelaSolidaria)

A República Checa conseguiu a qualificação por Daniel Bina (14º) e foi uma das quatro nações estreantes em Mundiais na Classe 2.4mR, tal como Portugal. João Pinto é campeão nacional e vice-campeão europeu em Access 303 Duplos, mas tem pouca experiência nos barcos da Classe individual paralímpica 2.4mR, com os quais teve o primeiro contato em agosto, num estágio em Inglaterra.

João Pinto adaptou-se bem aos 2.4mR, mas o pouco tempo de rodagem naquele barco não lhe permitiu ainda encontrar as melhores afinações, para tirar o máximo rendimento. Ainda assim, o velejador algarvio foi o melhor português em Melbourne, tal como já tinha sido no Europeu em Valência, em setembro. Essa vantagem é um bom indicador, sobretudo, se considerarmos que os outros dois portugueses em Valência e em Melbourne, Fernando Pinto e Manuel Soares, de Leixões, são velejadores que treinam o ano inteiro com barcos 2.4mR.

No último dia do Mundial de Vela Paralímpica em Melbourne, hoje, foi realizada apenas uma regata (a 11ª do campeonato). “Foi um dia de vento fraco e estável. O João terminou a regata em 21º e subiu aos 26º posto da classificação geral. Não atingimos o objetivo, mas o João lutou até ao último segundo”, comentou o treinador, Luís Brito, que acompanhou o atleta no Mundial em Melbourne.

Na última regata do campeonato, Manuel Soares foi 37º e manteve a 33ª posição na geral. Fernando Pinto foi 20º na regata e concluiu o Mundial em 41º lugar. O francês Damien Seguin sagrou-se campeão do Mundo na Classe 2.4mR. O multicampeão alemão Heiko Kroeger foi segundo classificado e o australiano Matt Bugg fechou o pódio.

 

Comentários