pub

João 'Brek' Bracourt e Mazari Zoio

Embaixadores Retro Movement são Algarvios

Dan Costa esteve em Portimão no fim-de-semana passado e estreou-se no Pico do Molhe da Rocha (®FrancisA)
Dan Costa esteve em Portimão no fim-de-semana passado e estreou-se no Pico do Molhe da Rocha (®FrancisA)
pub

Dan Costa é uma lufada de ar… antigo. O ‘shaper’ da Retro Movement produz pranchas modernas para um surf clássico. Em mais de duas décadas de ondas e viagens pelo mundo, com estadas prolongadas na Austrália e na Califórnia, Dan cultivou uma cultura de surf que considera estar a perder-se. De volta a Portugal, o ‘shaper’ quer recuperar a espiritualidade de um modo de vida que se tornou moda e indústria…  e escolheu para embaixadores os algarvios João ‘Brek’ Bracourt e Mazari Zoio.

O Algarve é uma referência no percurso do ‘shaper’, com 41 anos de idade. Foi no Algarve que o jovem Dan Costa, então com 16 anos, descobriu uma revista ‘Surfing’ e despertou para o surf. Era um jovem inconformado com a realidade do seu dia-a-dia. “Comecei a fazer surf porque não me encaixava nos parâmetros normais da sociedade”, disse Dan Costa, ao Swell-Algarve.

Dan Costa faz surf há 24 anos e é entusiasta das linhas clássicas (®DireitosReservados)

Dan Costa faz surf há 24 anos e é entusiasta das linhas clássicas (®FrancisA)

A rebeldia do adolescente e a contracultura acarinhada pelos pioneiros do surf combinaram-se na perfeição. O jovem Dan Costa apanhava quatro transportes públicos diferentes para viajar desde perto do Montijo até ao mar na zona da Comporta. Por vezes não havia ondas. Mas os dias eram sempre vividos com a intensidade da brisa do mar.

Lições nos Quatro Cantos do Mundo

Dan Costa começou a fazer arranjos em pranchas quando estava em Setúbal, ligado a um clube de surf. Estava a estudar para Engenheiro, em Lisboa. “Comecei a ver que não era aquilo que queria para mim”. Não seguiu a profissão, arranjou empregos, para ter dinheiro e poder viajar, à procura de ondas pelo mundo.

“Foi assim que acabei na Austrália”, recorda Dan Costa. “Tive a sorte de ficar na casa de um australiano com grande cultura de surf e comecei a trabalhar numa fábrica de pranchas. Começou a tornar-se mais sério; deixou de ser aquela coisa de fazer pranchas para os amigos”.

Shaper da Retro Movement é mais conhecido pelas suas longboards (®DireitosReservados)

Shaper da Retro Movement é mais conhecido pelas suas longboards (®FrancisA)

Quando regressou a Portugal, Dan Costa não se encaixou na vida urbana. “Comprei uma autocaravana e fui viver para Porto Covo. Todos os dias acordava, olhava o mar e surfava”, recorda o ‘shaper’. Foi este o seu modo de vida durante sete anos, altura em que surgiu a oportunidade de ir para a Califórnia, onde voltou a mergulhar na cultura clássica do surf, na onda das amizades desinteressadas e dos conselhos dos mais velhos.

Pranchas Modernas para Surf Clássico

Dan Costa está de volta a Setúbal, para dar estabilidade escolar à sua filha de 12 anos; e fundou a Retro Movement. Mais que uma marca de pranchas de surf é um movimento em defesa dos bons valores do surf perdidos, ou em crise na atualidade do surf moda, indústria e competição. O ‘shaper’ é mais conhecido pelas suas longboards, que aprendeu a ‘shapar’ na companhia de alguns mestres de renome internacional, como Donald Takayama.

Dan Costa com a embaixadora Mazari e algumas pranchas Retro Movement (®DireitosReservados)

Dan Costa com a embaixadora Mazari e algumas pranchas Retro Movement (®FrancisA)

“Todas as minhas longboards andam bem no ‘nose’. É a característica que melhor as distingue. São pranchas que dão um ‘glide’ fixe; um surf com curvas bonitas, e que entram bem nas ondas. Entrar cedo na onda é fundamental para 90% das pessoas”, explica Dan Costa.

Todas as pranchas Retro Movement são ‘custom made’ (à medida do cliente), feitas à mão e integram o mais moderno ‘know how’ da arte do ‘shape’. Denunciam a mensagem ‘retro’ pelas características que favorecem o surf clássico e pela decoração simples, muitas vezes monocromática.

Embaixadores no Algarve

Dan Costa esteve em Portimão no passado fim-de-semana, para dois dias de convívio e surf com os embaixadores João ‘Brek’ Bracourt e Mazari Zoio. “Foi a primeira vez que surfei na Praia da Rocha. Gostei muito. Se pudesse ia já outra vez no próximo fim-de-semana. Tem um ambiente muito fixe; faz-me lembrar os meus tempos antigos“, disse o ‘shaper’, ao Swell-Algarve.

Mazari, modelo e embaixadora Retro Movement é presença assídua na Praia da Rocha (®DireitosReservados)

Mazari, modelo e embaixadora Retro Movement é presença assídua na Praia da Rocha (®FrancisA)

O fim-de-semana serviu também para afinar estratégias e reforçar laços entre o ‘shaper’ e os embaixadores algarvios da Retro Movement. A modelo Mazari, fundadora do blogue ‘by Mazari’, é embaixadora da marca. “Ela contatou-me para fazermos uma parceria. Hoje em dia, ela está muito focada no surf e é uma pessoa que leva as coisas para a frente”, comentou Dan Costa.

João ‘Brek’ Bracourt é um pioneiro de segunda geração do surf no Algarve, fotógrafo de surf conhecido no estrangeiro e figura emblemática, de referência no Pico do Molhe em Portimão. É um adepto de longboards single fin e da espiritualidade na relação com o mar. “Conheci o Brek através de um amigo comum, na primeira edição do Sagres Surf Culture. Apanhámos logo uma grande bebedeira na primeira noite. Partilhamos o mesmo pensamento do surf”, disse Dan Costa.

João 'Brek' Bracourt, embaixador Retro Movement bem conhecido por defender o surf 'old school' (®DireitosReservados)

João ‘Brek’ Bracourt, embaixador Retro Movement bem conhecido por defender o surf ‘old school’ (®FrancisA)

Os embaixadores foram escolhidos pela sua forma de estar, pensar e sentir o surf. “Eles são a nossa imagem. Não quero saber se vão a campeonatos, quero que partilhem a linha de pensamento da marca“, concluiu Dan Costa. Se o Algarve esteve presente em momentos decisivos na vida do ‘shaper’, Portimão é agora o farol da Retro Movement.

 

Comentários