pub

Pedro Roque & Beatriz Leandro | Clube Naval de Portimão

Namorados Formam Tripulação de 420

Pedro Roque e Beatriz Leandro são namorados e forma a nova e única tripulação de 420 no Clube Naval de Portimão (®DireitosReservados)
Pedro Roque e Beatriz Leandro são namorados e forma a nova e única tripulação de 420 no Clube Naval de Portimão (®DireitosReservados)
pub

Pedro Roque & Beatriz Leandro são a nova e única tripulação de 420 do Clube Naval de Portimão para a próxima época desportiva de vela. Ele tem 21 anos de idade e um curriculum de luxo na Vela Ligeira. Ela tem 16 e pratica vela desde os 8 anos de idade, mas sem preocupações desportivas. São namorados e decidiram estar unidos também na paixão pelo mar e pela vela. “É uma sensação espetacular”, disse o multicampeão Pedro Roque, ao Swell-Algarve.

Pedro e Beatriz vão ser a tripulação do ‘love boat’ na renovada frota algarvia da Classe 420. Conforme o Swell-Algarve noticiou no início do mês, a Vela Ligeira vai assistir na próxima época (2015-2016) a um ressurgimento da Classe 420 na zona da Grande Lisboa e no Algarve (ler notícia).

O Clube Náutico de Tavira era o único clube algarvio com tripulações de 420. O Ginásio Clube Naval de Faro e a Associação Naval do Guadiana reativaram a Classe, que tinha alinhada uma frota de 7 barcos para a nova época desportiva. Agora, com a entrada do Clube Naval de Portimão, passam a ser 8 barcos 420 nas provas do calendário regional.

O Clube Naval de Portimão tinha um 420 em armazém, não tinha tripulação e não perspetivava reativar a Classe, conforme o Swell-Algarve tinha apurado no início do mês. Mas, quando Pedro Roque e Beatriz Leandro começaram a namorar, alteraram-se as perspetivas. Pedro Roque vinha de uma experiência incompleta em 420 e queria voltar à vela. Beatriz Leandro vem da vela por lazer em Laser 4.7 e quer estar com o namorado. A conjugação de vontades e de emoções reativou o 420 no Clube Naval de Portimão.

Clube Naval de Portimão tinha um 420 em armazém mas não tinha nem perspectivava ter tripulação (®PauloMarcelino)

Clube Naval de Portimão tinha um 420 em armazém mas não tinha nem perspectivava ter tripulação (®PauloMarcelino)

“Gosto muito de fazer vela e também gosto muito de estar com ele. Começamos a namorar e eu sei que a vela é importante para ele e que ele é bom nesse desporto. Decidi partilhar isso com ele”, disse Beatriz Leandro, ao Swell-Algarve. “Sempre gostei muito de vela e, agora, ter uma namorada que já conhece vela e pode partilhar comigo é uma sensação espetacular”, acrescentou Pedro Roque.

Pedro Roque é multicampeão de vela pelo Clube Naval de Portimão. Foi vice-campeão nacional juvenil (Optimist) em 2008; campeão nacional juvenil (Optimist) em 2009; bicampeão nacional Laser 4.7 em 2010 e 2011; 3º melhor nacional Laser Radial em 2012 e 5º melhor nacional Laser Radial em 2013. É uma carreira dourada na Vela Ligeira.

Em 2014, Pedro Roque iniciou-se no 420 formando tripulação com Emanuel Duarte no Clube Naval de Portimão. “Estava a correr bem. Tínhamos um treinador da federação que nos apoiava. Mas, depois, partimos o mastro e começámos a ter problemas com as afinações do barco e o Emanuel acabou por se dedicar ao ciclismo”, explicou o velejador.

Pedro Roque estava fora da vela para a nova temporada desportiva. Mas, com o começo do namoro com Beatriz Leandro, tudo mudou para o campeão portimonense. “Sempre pensei em voltar à vela e o 420 é o barco ao qual mais me afeiçoei”, confessa Pedro Roque. Agora está de volta, com a namorada e ao barco da sua preferência, sobre o qual afirma que “é tão importante ser bom velejador como ser bom a afinar o barco”.

Pedro e Beatriz não estão preocupados com resultados. Querem estar juntos e divertir-se (®DireitosReservados)

Pedro e Beatriz não estão preocupados com resultados. Querem estar juntos e divertir-se (®DireitosReservados)

Os 420 são barcos mais rápidos e técnicos que os Laser. No 420 do Clube Naval de Portimão, Pedro Roque vai ser leme e Beatriz Leandro proa. Beatriz não tinha qualquer experiência em 420 e, depois dos primeiros treinos, comenta: “Estou pouco preparada. É tudo muito novo e diferente em relação ao 4.7 em que andava”. Mas o objetivo é estarem juntos, partilhar a emoção do mar; não é ganhar.

“Quero divertir-me ao máximo. Tenho como objetivo evoluir e não ficar em último”, diz Beatriz Leandro. “Vamos tentar o melhor possível, mas se correr mal não vai ser por aí. Queremos, sobretudo, divertir-nos”, comenta Pedro Roque. “O ponto forte deles para a época desportiva é a vasta experiência do Pedro e o fato de não estarem preocupados com resultados”, acrescenta Frederico Coutinho Rato, treinador de vela no Clube Naval de Portimão.

Pedro Roque e Beatriz Leandro vão competir sem treinador. “Vamos treinar sozinhos”, diz Pedro Roque. A tripulação vai realizar saídas de mar aos fins-de-semana e, sempre que possível, também às sextas-feiras. Pedro e Beatriz sairão para o mar juntamente com as equipas de competição de vela ligeira (Optimist e Laser) do Clube Naval de Portimão, mas realizarão as suas rotinas de treino sem orientação técnica específica.

Acreditamos que o treinador ‘Fred’ dará uns conselhos, mas a evolução técnica e os resultados não são a prioridade. Pedro e Beatriz vão evoluir naturalmente como tripulação de 420 e poderão até ter bons resultados, mas aquilo que mais lhes importa é já um dado adquirido e faz bem à vela e ao desporto em geral: namorar partilhando a paixão pelo mar e pela vela.

Comentários