pub

Allianz Ericeira Pro | Dia 1

Mais ‘Groms’ do Algarve em Prova na Liga MEO Surf

Marlon Lipke competiu com 'jet lag' foi o único algarvio a sobreviver ao primeiro dia no quadro masculino em Ribeira d'Ilhas (®JorgeMatreno/ANSurfistas)

Os surfistas algarvios Diogo Pereira, Leon Schneider e Martim Brandão fizeram esta sexta-feira, 1 de março, a sua estreia na Liga MEO Surf. Os três ‘groms’ integraram a comitiva de doze (12) atletas do Algarve no Allianz Ericeira Pro 2019, primeira etapa da nova temporada da principal competição de Surf em Portugal, que começou hoje em Ribeira d’Ilhas. No primeiro dia da prova ficaram concluídas a Ronda 1 Feminino, com uma baixa algarvia; e a Ronda 2 Masculino, com oito (8) algarvios eliminados.

A Liga MEO Surf 2019 começou com boas ondas em Ribeira d’Ilhas, com o mar a crescer durante o dia, sobretudo na vazante, a mostrar um pouco do tamanho gigante esperado para sábado com ondulação forte de Noroeste. O Allianz Ericeira Pro 2019, que decorre até domingo, marcou os regressos à Liga de Frederico Morais, após duas épocas no Championship Tour WSL; e Carina Duarte, campeã nacional em 2008 e 2013. Ambos continuam em prova e ‘Kikas’ fez na Ronda 2 Masculino a pontuação mais elevada (16 pontos em 20 possíveis com duas ondas) e a melhor onda (9 pontos em 10) do dia.

Marlon Lipke (Clube de Surf de Faro) foi o porta-estandarte da armada algarvia em Ribeira d’Ilhas. Regressado na véspera dos Estados Unidos da América, de uma viagem às ondas na California e à neve no Colorado; o surfista algarvio competiu com ‘jet lag’ e venceu as duas baterias em que participou no primeiro dia.

Marlon fez o terceiro melhor ‘score’ do dia (14,75 pontos) e é o único algarvio ainda em prova no quadro masculino para o segundo dia. O ano passado venceu a etapa da Liga no Porto e chegou à última prova dentro da equação do título nacional. Foi competidor no WCT em 2009 e Campeão Europeu em 2012.

Nove algarvios eliminados

O primeiro dia do Allianz Ericeira Pro 2019 foi mau em resultados para a comitiva algarvia, mas bom em indicadores de futuro para o Surf no Algarve. Nove dos doze algarvios em Ribeira d’Ilhas foram eliminados esta sexta-feira. Não é bom.

Quase metade da comitiva algarvia foi composta por jovens surfistas (‘groms’), três dos quais – Diogo Pereira (Clube Naval de Portimão), Leon Schneider (Portimão Surf Clube) e Martim Brandão (Albufeira Surf Clube) – em estreia absoluta na Liga. É bom sinal. Este grupo de ‘groms’ algarvios ‘entre as feras’ incluiu também Tomás Nunes (AlbufeiraSC) e Concha Balsemão (Ericeira Surf Clube), que deram os primeiros passos na Liga o ano passado.

Leon Schneider (5,25 | 2,50+2,75) e Martim Brandão (3,60 | 1,10+2,50) ‘perderam de primeira’, em 4º nas respetivas baterias na Ronda 1 Masculino. “Estava nervoso e escolhi mal as ondas”, comentou Leon, campeão regional Sub-16 do Sul, ao Swell-Algarve. Diogo Pereira (5,60 | 2,90+2,70) também ‘perdeu de primeira’, mas já na Ronda 2 (em 4º na sua bateria), porque passou a Ronda 1 sem ir à água, por falta de comparência de dois atletas.

Frederico ‘Martim’ Magalhães (Clube Naval de Portimão) protagonizou a maior surpresa algarvia do dia, pela negativa, ao ser eliminado na Ronda 1, em 3º na sua bateria. O surfista algarvi0 é Top 22 nacional, competidor habitual em provas europeias do circuito mundial de qualificação WSL (‘Qualifying Series’) e local da Ericeira, mas esta sexta-feira não se encontrou com as ondas em Ribeira d’Ilhas. Perdeu com 7,50 pontos (3+4,50) na bateria que assinalou o regresso de Frederico Morais à Liga e na qual o algarvio entrou como cabeça de série.

O ‘veterano’ algarvio Miguel Marinho (AlbufeiraSC) perdeu (4,75 | 2,75+2,00) em 3º na bateria inaugural da Ronda 1 Masculino. Tomás Nunes (AlbufeiraSC) avançou em 2º nessa bateria e foi eliminado em 4º na Ronda 2, com 5,30 pontos (2,50+2,80).

Paulo Almeida (CNPortimão) e Ivan Bailote (AlbufeiraSC) superaram os respetivos desafios na Ronda 1, ambos em 2º; e foram eliminados na Ronda 2 na mesma bateria, dominada pelo duelo entre Frederico Morais (16 pontos) e Vasco Ribeiro (12,15 pontos). Os dois algarvios surfaram abaixo do seu potencial nessa bateria. Ivan Bailote (6,20 | 3,30+2,90) perdeu em 3º e Paulo Almeida (5,15 | 2,75+2,40) em 4º.

Ribeira d’Ilhas esteve grande e vai estar maior sábado. O primeiro dia do Allianz Ericeira Pro 2019 marcou a estreia de três algarvios na Liga MEO Surf (®JorgeMatreno/ANSurfistas)

O Algarve esteve representado por três surfistas – Yolanda Hopkins (CNPortimão), Concha Balsemão (EriceiraSC) e Inês Pascoal (AlbufeiraSC) – no quadro Feminino. As três competiram juntas na Ronda 1. Inês Pascoal, campeã regional Open Feminino do Sul, foi eliminada em 4º (4,50 | 2,50+2,00), depois de ter ganho a bateria de ‘trials’, à qual teve de se sujeitar após ter estado um ano ausente da Liga.

A bateria com três algarvias na Ronda 1 Feminino foi dominada pelo duelo entre Yolanda Hopkins, vice-campeã nacional; e Concha Balsemão, campeã regional Sub-18 Feminino do Sul e representante de Portugal em Sub-16 Feminino na próxima final mundial do Rip Curl Grom Search. Concha Balsemão (8,35 | 4,00+4,35) impôs-se à cabeça de série Yolanda Hopkins (8,00 | 3,00+5,00), apurando-se ambas para a Ronda 2.

As algarvias Concha e Yolanda vão voltar a surfar juntas na Ronda 2 Feminino, com Carina Duarte e Mariana Rocha Assis. A maior surpresa na Ronda 1 Feminino, esta sexta-feira, foi a eliminação de Carol Henrique, campeã nacional em 2016 e 2017. Carol perdeu numa bateria ganha por outra bicampeã nacional, Carina Duarte. Outra surpresa no quadro Feminino foi a exibição da jovem Gabriela Dinis, que fez a melhor pontuação (10,65 pontos) e a melhor onda (7,25 pontos) femininas do dia.

Apontamentos

Algarve Surf Clube fora da Liga: Marlon Lipke mudou para o Clube de Surf de Faro, Pedro Henrique para o Surfing Clube de Portugal e Eduardo Fernandes para a Associação de Surf da Costa de Caparica.

Francisco Duarte ausente: Surfista de Portimão ainda não competiu esta temporada. Tem sido nos últimos anos um atleta muito focado e terminou a época passada em 32º no ‘ranking’ da Liga, representando o Clube Naval de Portimão também no circuito mundial de qualificação WSL.

Transferências algarvias: Concha Balsemão mudou este ano do Portimão Surf Clube para o Ericeira Surf Clube. Paulo Almeida também se transferiu do Portimão Surf Clube, para o Clube Naval de Portimão. Diogo Pereira também mudou de clube este ano, do Iate Clube Marina de Portimão para o Clube Naval de Portimão.

Previsões fortes para sábado

Para sábado é expectável que o mar suba consideravelmente e a organização irá fazer um primeiro call às 9 horas, em Ribeira d’Ilhas, para retomar a competição.

Agenda para sábado, 2 de Março:
09h00 – Call segundo dia de competição
10h00 – Fundação Alice: limpezas de praia (Praia de Ribeira D’Ilhas)
12h00 – Jerónimo Martins: desafio de proteção dos oceanos
17h00 – Sumatra Surf Trip: Festa dos 10 Anos (Boardriders Ericeira)

Além de ser a primeira etapa da Liga MEO Surf 2019, o Allianz Ericeira Pro marca, igualmente, o arranque da Allianz Triple Crown, com um prémio anual de 6.000 Euros, da luta pela melhor manobra na Renault Expression Session e pela Somersby Onda do Outro Mundo (ambos com 2.500€ anuais), do Santander Award (com 1.500€ anuais), e ainda a designação dos melhores surfistas locais (masculino e feminino) com uma premiação de 1.500€ por via da Câmara Municipal de Mafra. A premiação global da Liga MEO Surf 2019 é de 100.000€.

No domínio das limpezas de praia da Fundação Altice, sob coordenação da Plastic Sundays, esta sexta-feira, as iniciativas decorreram das 9h30 às 17h00 na Praia de São Sebastião, com a participação de 50 alunos da Escola EB 2+3 de Mafra e do projeto Sénior do Movimento É Vida, da Câmara Municipal de Mafra. No Sábado, das 10h00 às 13h00, os trabalhos destinam-se a voluntários e concentrar-se-ão nas arribas e linha de água da Praia de Ribeira D’Ilhas, estando ainda disposta uma instalação de arte alusiva à educação ambiental, sob proposta de Luís Costa. Os resultados serão contabilizados em www.ansurfistas.com/share.

A agenda de sustentabilidade da Liga MEO Surf 2019 conta também com a participação do Grupo Jerónimo Martins, com dinâmicas associadas à proteção da biodiversidade e promoção da alimentação saudável. Em Ribeira D’Ilhas, entre as 12h00 e as 15h30 de cada dia de prova, o público é convidado a colocar à prova os seus conhecimentos sobre os oceanos, os desafios que estes enfrentam e o que podemos fazer para ganhar o combate contra a poluição por plástico que ameaça a vida marinha e toda a cadeia alimentar.

Todas as etapas da Liga MEO Surf 2019 podem ser acompanhadas em direto na Sport TV, assim como nos restantes meios oficiais: facebook do MEO, app na posição 810 da grelha de canais MEO, www.ansurfistas.com e redes sociais em @ansurfistas.

A Liga MEO Surf 2019 é uma organização da Associação Nacional de Surfistas e da Fire!, com o patrocínio do MEO, Allianz Seguros, Renault, Bom Petisco, Banco Santander, Somersby, Rip Curl, os parceiros de sustentabilidade Fundação Altice e Grupo Jerónimo Martins, com o apoio local da Câmara Municipal de Mafra e Ericeira Surf Clube, e com o apoio técnico da Federação Portuguesa de Surf.

Fonte (último subtítulo): Nota de Imprensa da Associação Nacional de Surfistas

 

Comentários