pub

#1 WSL Big Wave Tour 2018/2019 | Nazare Challenge

Alex Botelho e João de Macedo Finalistas na Nazaré

Dois portugueses no Pódio do Nazaré Challenge 2018: João de Macedo, de azul; e o algarvio Alex Botelho, de preto (®Masurel/WSL)
pub

Dia de emoções fortes na Praia do Norte termina com dois portugueses no pódio. O surfista algarvio Alex Botelho terminou o Nazaré Challenge 2018 em 4º lugar, seguido pelo compatriota João de Macedo, em 5º. O primeiro evento do WSL Big Wave Tour 2018/2019, esta sexta-feira 16 de novembro proporcionou “um dos melhores dias de surf profissional em ondas grandes alguma vez visto”, reconheceu a World Surf League. O sul-africano bicampeão mundial Grant ‘Twiggy’ Baker conquistou a sua primeira vitória na Nazaré em ondas de 7 a 12 metros de altura, condições que justificaram a atribuição de um coeficiente de bonificação na pontuação final dos atletas.

A Nazaré ofereceu hoje excelentes condições para o arranque da nova temporada do circuito de ondas grandes da World Surf League. Vinte e quatro (24) surfistas apresentaram-se ao desafio, incluindo cinco (5) portugueses, entre os quais o algarvio Alex Botelho, único português competidor oficial do BWT esta época (ver notícia). Os restantes quatro portugueses chegaram à prova por convite (‘wildcard’) e juntaram-se a um grupo internacional de estrelas do surf em ondas grandes, entre os quais o ‘waterman’ do momento, o havaiano Kai Lenny.

O surfista de Lagos teve uma boa estreia como atleta oficial do circuito mundial. Alex Botelho venceu as suas duas primeiras baterias (Ronda 1 e Meias-Finais) e registou na meia-final o ‘score’ (pontuação combinada) mais elevado (26,33 pontos) e a terceira melhor onda (9,33 pontos) do evento.

Algarvio Alex Botelho terminou em 4º lugar e fez nas meias-finais a terceira melhor onda e o ‘score’ mais elevado do evento (®Masurel/WSL)

As previsões indicavam “ondas épicas para remada na casa dos 25 a 35 pés (7,6 a 10,6 metros)”, anunciara o Comissário BWT, Mike Parsons. O evento começou esta manhã quase sem vento, com ondas superiores a 25 pés à hora da maré cheia e condições progressivamente mais pesadas na descida da maré, culminando com surf em ondas de 35 a 40 pés (10,6 a 12,1 metros) e ‘sets’ ainda maiores no ‘line up’. Mike Parsons atribuiu ao evento um coeficiente Prata, o que significa que a pontuação dos resultados dos atletas no Nazaré Challenge 2018 recebe uma bonificação de 10 por cento.

A competição atingiu o clímax nas meias-finais, quando as ondas começaram a abrir, oferecendo aos surfistas a rara oportunidade de conseguir tubos em ondas assim tão grandes na Nazaré. O português João de Macedo foi o primeiro a surfar um túnel numa das montanhas de água que hoje se ergueram na Praia do Norte e conquistou 9,20 pontos.

O brasileiro Lucas Chianca, vencedor da edição do ano passado descobriu outro tubo, recebeu 9,60 pontos e venceu a primeira meia-final. O surfista basco Natxo Gonzalez encaixou um tubo profundo de esquerda na segunda meia-final e tornou-se no primeiro atleta a conseguir uma nota 10 perfeito na Nazaré (ver video), na bateria ganha pelo algarvio Alex Botelho (7,67+9,33).

Português João de Macedo terminou em 5º lugar e foi o primeiro a fazer um tubo neste dia histórico de competição na Nazaré (®Masurel(WSL)

Alex Botelho foi o melhor português em prova, hoje, na Nazaré. O algarvio terminou em 4º, entre os seis finalistas, venceu duas baterias e registou pontuações de destaque. João de Macedo, que na época anterior foi competidor oficial BWT, também chegou à final e terminou o Nazare Challenge em 5º lugar.

Os restantes portugueses, António Silva, João Guedes e Nic Von Rupp foram eliminados na primeira das três rondas – Ronda 1, Meias-Finais, Final – do evento. Hugo Vau recebeu um ‘wildcard’ mas não competiu.

O resultado bonificado alcançado no Nazaré Challenge deixa Alex Botelho em boa situação para conseguir a requalificação num circuito mundial que vai ter (apenas) mais duas provas: Mavericks e Jaws. O surfista algarvio é o único português com acesso direto a todas as provas do circuito. Está em 4º lugar num ‘ranking’ que qualifica os dez (10) primeiros.

O 5º lugar bonificado conquistado hoje por João de Macedo deixa o português na rota do regresso ao WSL Big Wave Tour, mas esse percurso depende da atribuição de convites (‘wildcards’) para os próximos eventos.

Resgate difícil de Alex Botelho. Algarvio arriscou até ao limite numa das ondas e foi complicado retirá-lo da zona de perigo. Momentos de emoção captados em vídeo:

Final Nazaré Challenge 2018

1. Grant Baker (ZAF) | 25,04 (8,67/x2 + 7,70)

2. Lucas Chianca (BRA) | 23,31 (7,17 + 8,07/x2)

3. Natxo Gonzalez (EUK) | 22,71 (8,17/x2 + 6,37)

4. Alex Botelho (PRT) | 22,06 (6,20 + 7,93/x2)

5. João de Macedo (PRT) | 20,87 (6,53 + 7,17/x2)

6. Russell Bierke (AUS) | 18,89 (6,03 + 6,43/x2)

Comentários