pub

Catamarãs voadores GC32 | Etapa em Barcelona

Luís Brito Leva ‘Rookies’ a Vitória no Extreme Sailing Series

Festa da jovem equipa espanhola, orientada pelo algarvio Luís Brito, após a vitória na última regata em Barcelona (®DR)

O algarvio Luís Brito liderou a equipa estreante Spanish Impulse na 3ª etapa do circuito mundial Extreme Sailing Series, em San Sebastian, Barcelona, Espanha. O velejador olímpico algarvio foi chamado pela organização do circuito, para coordenar a montagem do catamarã-voador GC32 da nova equipa e orientar os ‘rookies’ a bordo, trabalho premiado com vitória na última regata da prova.

Luís Brito estreou-se no Extreme Saling Series em 2016, com a equipa portuguesa Sail Portugal, que ja não ‘corre’ o circuito. Nesse mesmo ano, o velejador algarvio estreou-se também no GC32 Racing Tour – o outro circuito mundial desta Classe de ‘catamarãs-voadores’ – a convite da equipa japonesa Mamma Aiuto Saling Team, estreante naquele circuito. Luís Brito foi chamado a essa prova em Itália, para ajudar a tripulação japonesa e desde aí tem sido cada vez mais requisitado, para ser treinador-tripulante de equipas estreantes em catamarãs GC32.

Luís Brito estreou-se nos GC32 em 2016 e as competências do algarvio como treinador-tripulante têm sido requisitadas nos dois circuitos mundiais da Classe (®RodrigoRato)

A situação repetiu-se agora em Barcelona, no Extreme Saling Series, nos dias 14 a 17 deste mês, a propósito da equipa Spanish Impulse. “A oportunidade surgiu por imposição da OC Sports, gestora do Extreme Sailing Series, uma vez que se tratava de uma equipa Wild Card, sobre a qual a organização queria sentir segurança no que respeita a montagem e manutenção do GC32, assim como estarem tranquilos enquanto o barco navegava e competia”, comentou Luís Brito, para o Swell-Algarve.

Para além de navegar com a função de trimmer de Estai e código 0, Luís Brito tinha ainda como missão ajudar a jovem equipa espanhola – quatro tripulantes entre os 18 e os 24 anos – a conhecer melhor o barco, melhorar a comunicação e o desempenho desportivo. “Uma espécie de coach on board”, sublinhou o velejador algarvio. “O resultado foi muito positivo, finalizado com a vitória na última regata do campeonato que valia a dobrar”, concluiu.

Luís Brito está satisfeito com a experiência e não se fica por aí. O Extreme Saling Series vai fazer escala em Cascais, para um etapa nos dias 5 a 8 de julho e o treinador-tripulante algarvio vai lá estar.

Comentários