pub

#1 Liga MEO Surf 2018 | Allianz Ericeira Pro | Dia 3

Yolanda Hopkins Vice-Campeã na Ericeira

Yolanda, de vermelho, estuda o mar antes de começar a final feminina com mar gigante em Ribeira d'Ilhas (®PedroMestre/ANSurfistas)
pub

A surfista algarvia Yolanda Hopkins (Clube Naval de Portimão) sagrou-se este domingo vice-campeã do Allianz Ericeira Pro. O terceiro e último dia da etapa inaugural da Liga MEO Surf 2018, o circuito que define os campeões nacionais de surf, disputou-se em condições desafiantes, com ondas de 3 a 4 metros em Ribeira d’Ilhas. Miguel Blanco e Camilla Kemp foram os vencedores da prova.

Yolanda foi a única algarvia no quadro feminino e chegou à final. Este domingo, a surfista algarvia começou por eliminar Teresa Bonvalot, nas meias-finais ‘girl-on-girl’. Foi um jogo de notas baixas: 2,90+2,30 para Yo, no melhor de quatro ondas feitas; e 1,00+1,75 para Bonvalot, que fez apenas duas ondas. O mar já impunha respeito e foi nessas condições que Yolanda eliminou Bonvalot, que ocupa o 10º lugar Internacional no circuito mundial de qualificação feminino da World Surf League.

Algarvia Yolanda Hopkins, de vermelho, no 2º lugar do pódio feminino (®PedroMestre/ANSurfistas)

Na outra meia-final, Camilla Kemp eliminou a bicampeã nacional Carol Henrique. A final feminina foi disputada em mar grande e forte, com as surfistas a evidenciarem mais medo e respeito (ver abaixo) que atrevimento. Em toda a bateria, Camilla e Yolanda surfaram um total de três ondas, duas para a algarvia (0,25+0,75, dois ‘drops’ sem consequência) e uma para a vencedora (3,50 pontos em 10 possíveis). Venceu a favorita, número 2 no ‘ranking’ europeu do circuito mundial de qualificação feminino. E Yolanda assumiu a vice-liderança feminina na Liga MEO Surf 2018.

Pedro Henrique, do Algarve Surf Clube, de amarelo, no 3º lugar do pódio masculino (®PedroMestre/ANSurfistas)

No quadro masculino, o Algarve esteve representado em dia de finais por dois surfistas da Grande Lisboa – Pedro Henrique, vice-campeão nacional; e Eduardo Fernandes, Top 6 nacional – federados pelo Algarve Surf Clube. Os dois foram eliminados por Miguel Blanco, que venceria a etapa. Eduardo Fernandes perdeu nos quartos-de-final e Pedro Henrique foi eliminado nas meias-finais, depois de ter afastado João Guedes nos quartos-de-final.

Dia Gigante em Ribeira d’Ilhas *

A final masculina colocou frente-a-frente Gony Zubizarreta e Miguel Blanco. O surfista galego tinha do seu lado a experiência e conhecimento local – reside há vários anos na Ericeira -, mas o jovem surfista da Linha tinha como objetivo chegar à primeira vitória na Liga, naquela que era a quarta final consecutiva que alcançava no circuito.

Miguel Blanco carregado em ombros após vencer em Ribeira d’Ilhas, a sua primeira vitória após quatro finais consecutivas (®PedroMestre/ANSurfistas)

A indecisão na final reinou até aos últimos segundos e Blanco acabou por vencer graças a uma onda de 4,25 pontos (em 10 possíveis). Após cinco segundos lugares, Miguel Blanco subiu ao lugar mais alto do pódio. “Estou muito contente por, finalmente, ter ganho”, começou por referir Blanco, de 22 anos. “Foi uma final muito especial, com o Gony [Zubizarreta], que é muito meu amigo, e também foi uma final atípica, com o mar bem grande e poucas ondas surfadas. Estou feliz com o resultado, com a sensação de chegar à areia e saber que venci. E, claro, por começar na liderança da Liga MEO Surf”, vincou.

A viver um bom momento de forma, depois de alguns resultados positivos no circuito mundial de qualificação, que o colocaram no top 50 do ranking mundial, Miguel Blanco está a passar por um ponto de viragem na carreira. “Tenho trabalhado muito e tenho estado focado, realmente preocupado em evoluir o meu surf. Penso que esse trabalho está a começar a dar frutos e a confiança vai crescendo aos poucos. Agora, quero manter o mesmo tipo de trabalho”, salientou o vencedor do Allianz Ericeira Pro.

Mar grande e difícil, este domingo, em Ribeira d’Ilhas (®PedroMestre/ANSurfistas)

A final feminina também foi disputada com ondas bem grandes e exigentes, o que dificultou a tarefa das finalistas. Camilla Kemp acabou por vencer com apenas uma onda de 3,5 pontos (em 20 possíveis), contra 1 ponto da algarvia Yolanda Hopkins, que fez na Ericeira a terceira final na Liga – no ano passado já havia sido finalista vencida em Ribeira d’Ilhas.

Camilla mostrou-se feliz por ter vencido e superado os limites. “O mar estava bem grande e muito difícil”, começou por dizer a surfista do Guincho, de 22 anos. “Sinceramente, estava com um pouco de medo e não me sentia muito à vontade com as condições. Mas foi uma oportunidade para surfar ondas grandes e superar o medo”, frisou, sorridente, a vencedora deste Allianz Ericeira Pro.

Esta foi a sexta vitória de Camilla Kemp na Liga MEO Surf e a segunda na Ericeira. Um triunfo que deixa Camilla bem lançada na luta pelo título nacional. “A Liga está com um nível excelente, temos várias atletas a surfar muito bem. Uma vitória é sempre ótimo para começar o ano, mas não quer dizer nada, pois tenho de me superar e melhorar a cada campeonato. Esse é o meu objetivo”, concluiu.

Miguel Blanco e Camilla Kemp, vencedores da etapa (®PedroMestre/ANSurfistas)

Com estes triunfos Miguel Blanco e Camilla Kemp não só assumiram a liderança da corrida aos títulos nacionais de 2018, como ainda ficaram na frente da luta pela Allianz Triple Crown – conjunto de três etapas, que tem um prémio anual de 6 mil euros.

Resultados finais:

  • Final masculina: Miguel Blanco 5,15 pontos vs Gony Zubizarreta 2,50 pontos
  • Final feminina: Camilla Kemp 3,5 pontos vs Yolanda Hopkins 1 ponto
  • Ericeira Best Surfer: Gony Zubizarreta e Francisca Veselko
  • Somersby Onda do Outro Mundo: Miguel Blanco, 9 pontos (1.ª ronda)

Apesar de ter pedido a final masculina, Gony Zubizarreta leva para casa o prémio de Ericeira Best Surfer, iniciativa da Câmara Municipal de Mafra para distinguir os melhores locais em prova (com premiação de 1.500€). Do lado feminino foi a jovem Francisca Veselko a vencer este troféu.

Dylan Groen e Mafalda Lopes foram os melhores sub-18 em prova e lideram, assim, o ranking da Sumatra Surf Trip, um prémio que oferece uma surf trip na Indonésia aos melhores juniores da Liga (masculino e feminino).

As condições do mar acabaram por não permitir a realização da Renault Expression Session, que foi adiada para a etapa do Porto (Renault Porto Pro), e também do Moche Groms Cup, que foi adiado para a etapa da Praia Grande (Allianz Sintra Pro).

Homenagem a Tânia Oliveira (®PedroMestre/ANSurfistas)

Destaque ainda para a realização de uma homenagem a Tânia Oliveira, surfista açoriana que faleceu tragicamente no início deste ano. Antes das finais, Henrique Pyrrait e Arran Strong depositaram uma coroa de flores no mar em nome da Associação Nacional de Surfistas e de todos os surfistas. Seguiu-se um minuto de silêncio em memória da antiga competidora da Liga.

A próxima etapa da Liga MEO Surf 2018 acontece no Porto. O Renault Porto Pro realiza-se entre 4 e 6 de maio e vai levar os melhores surfistas nacionais ao norte do país. Mais informações em www.ansurfistas.com.

Resultados Algarvios

Masculino

3. Pedro Henrique (AlgarveSC) | MF

5. Eduardo Fernandes (AlgarveSC) | QF

17. Jakob Lilienweiss (AlgarveSC) | R2

25. Frederico ‘Martim’ Magalhães (CNPortimão) | R2

25. Marlon Lipke (AlgarveSC) | R2

33. Ivan Bailote (AlbufeiraSC) | R1

33. Paulo Almeida (PortimãoSC) | R1

33. Francisco Canelas (PortimãoSC) | R1

49. Miguel Marinho (AlbufeiraSC) | R1

49. João Mendonça (ASSCaparica) | R1

65. Tomás Nunes (AlbufeiraSC) | Trials

Feminino

2. Yolanda Hopkins (CNPortimão) | Final

Links:

Allianz Ericeira Pro | Dia 2

Allianz Ericeira Pro | Dia 1

Allianz Ericeira Pro | Sorteio

*Fonte: Nota de Imprensa Associação Nacional de Surfistas | subtítulo

Comentários