pub

Inglês John Tranter é o novo treinador da algarvia

Inês Pascoal Treina no Alentejo

Yolanda Hopkins, Inês Pascoal e John Tranter (®PauloMarcelino)
Yolanda Hopkins, Inês Pascoal e John Tranter (®PauloMarcelino)
pub

A surfista algarvia Inês Pascoal mudou de treinador. A líder do ‘ranking’ Open Feminino do Sul está agora a treinar-se no Alentejo, no Pig Dog Surf Camp, com o inglês John Tranter, treinador da multicampeã regional algarvia Yolanda Hopkins. As primeiras sessões de treino decorreram ontem e hoje, na Praia de São Torpes, Sines.

“Foi uma boa escolha. O John tem muitos anos nisto. Em duas sessões já houve coisas que me apontou, que não tinha noção e corrigi”, comentou Inês Pascoal, ao Swell-Algarve. Encontramos a surfista algarvia este sábado à tarde, no parque de estacionamento em São Torpes, juntamente com John Tranter, Yolanda Hopkins e mais pessoal do Pig Dog Surf Camp. Tinham ido ver as ondas, mas o forte onshore da tarde não convidou ao surf.

Inês Pascoal treinava-se há muitos anos com Paulo Almeida e é atleta do Imortal Surf Academy. Paulo Almeida é treinador e surfista de Portimão, competidor no nacional Open e também atleta no recém formado núcleo de surf e bodyboard no decano clube de Albufeira.

A mudança de treinador acontece uma semana antes da última etapa do Circuito Regional de Surf do Sul 2017, em Aljezur, onde Inês Pascoal vai competir em boa condição no ‘ranking’, para conquistar o título regional Open Feminino, pela primeira vez na sua carreira. “Estou um bocado ansiosa. Vamos ver se é desta”, confessou a surfista.

Yolanda, Inês e John esta tarde, sábado 29 de abril, à procura de ondas em São Torpes, Sines (®PauloMarcelino)

Yolanda, Inês e John esta tarde, sábado 29 de abril, à procura de ondas em São Torpes, Sines (®PauloMarcelino)

“A Inês tem potencial e estilo. Tem maus hábitos de surf que é preciso corrigir e precisa ganhar confiança”. Esta é avaliação da surfista algarvia feita por John Tranter após duas sessões de treino. ‘Johnny Pig Dog’, como ficou conhecido nos seus tempos de competidor no WQS, à boleia e com prancha debaixo do braço; é inglês e tem 46 anos de idade. Já andou pelo Algarve e fixou-se há cinco anos em São Torpes, onde abriu o surf camp Pig Dog.

John Tranter é treinador de surf há 10 anos e tem um método muito próprio, que lhe vem da experiência passada como treinador de ‘marines’ ingleses e da formação como psicólogo. John é treinador de Yolanda Hopkins há 18 meses e a evolução do surf da algarvia nesta época salta à vista. ‘Yo’ perdeu peso, ganhou confiança e libertou o seu surf. “Ela evoluiu muito porque desmanchei o surf dela e reconstruí-o a partir da base. Ensinei-a a surfar como um homem”, explicou John Tranter.

Os treinos de John são muito intensos na praia e complementam-se com muito treino físico, orientação psicológica e regras nutricionais. Yolanda está satisfeita e o 2º lugar feminino na primeira etapa da Liga Meo Surf este ano é uma prova concreta de evolução.

Inês Pascoal, amiga de Yolanda, apanhou boleia no mesmo método e está confiante. Os primeiros tempos serão de habituação ao método e ao ritmo de viagens aos fim-de-semana entre o Algarve e o Alentejo. Depois de Junho tudo será mais fácil, quando a surfista concluir a sua licenciatura em Design e Comunicação. “Vai correr bem”, conclui, sorridente, Inês Pascoal.

Comentários