pub

Sessão de Treino Funcional e Aula de Surf

Alunos de Fisioterapia Visitam Portimão Surf Clube

Novos alunos de Fisioterapia assistiram a uma sessão prática de fisioterapia preventiva aplicada ao surf (®DR)
Novos alunos de Fisioterapia assistiram a uma sessão prática de fisioterapia preventiva aplicada ao surf (®DR)
pub

Estudantes do Ciclo de Estudos em Fisioterapia da Escola Superior de Saúde Jean Piaget do Algarve, Instituto Piaget, realizaram uma visita de estudo às instalações do Portimão Surf Clube, sob a orientação da docente Beatriz Minghelli. A visita decorreu no âmbito da Unidade Curricular “Introdução à Profissão” e teve como objetivo dar a conhecer a prática de um programa de Fisioterapia aplicada a um desporto, nesse caso, o surf.

A sessão decorreu no passado dia 2 e a prática foi ministrada pelo fisioterapeuta Filipe Costa, responsável pelo Gabinete Fisiorider, em Portimão, que após uma breve explicação teórica demonstrou exercícios que simulam os movimentos utilizados no surf para diferentes níveis e idade. Para demostrar os exercícios estiveram presentes os atletas Paulo Almeida, Inês Pascoal, Henrique “Piki” Gomes e Tiago Machado e para demostração de iniciação um rapaz de 5 anos de idade.

Atletas demonstraram exercícios funcionais de fisioterapia preventiva aplicada ao surf, numa sessão prática dirigida pelo fisioterapeuta Filipe Costa (®DR)

Atletas demonstraram exercícios funcionais de fisioterapia preventiva aplicada ao surf, numa sessão prática dirigida pelo fisioterapeuta Filipe Costa (®DR)

Após essa sessão, os estudantes que tiveram interesse, puderam experimentar uma aula de surf oferecida pelo Portimão Surf Clube, para vivenciarem a importância do treino em superfícies instáveis.

A fisioterapia preventiva é um treino funcional de enorme importância para a saúde dos atletas. A professora Beatriz Minghelli tem liderado investigações académicas nessa área, aplicadas ao surf, traduzindo a realidade em números concretos. Um primeiro estudo apurou dados interessantes relativos aos surfistas algarvios (ver notícia). Depois dessa primeira investigação, o grupo liderado por Beatriz Minghelli iniciou, no Algarve (ver notícia), um estudo semelhante que abrangeu a realidade portuguesa.

Portimão Surf Clube ofereceu uma aula de surf aos futuros fisioterapeutas (®DR)

Portimão Surf Clube ofereceu uma aula de surf aos futuros fisioterapeutas (®DR)

Dados relativos ao segundo estudo, mais abrangente, estão incluídos no texto que reproduzimos a seguir, da autoria da professora Beatriz Minghelli:

“Os surfistas estão constantemente sujeitos a sofrer lesões por diversos fatores externos, nomeadamente as diferentes correntes oceânicas, a orientação do vento, o tipo de fundo do mar, o tamanho das ondas, a temperatura da água, o contacto com a prancha e com outros surfistas, entre outros; esses fatores leva à imprevisibilidade na realização das manobras, levando o surfista a adotar adaptações rápidas e eficientes para prevenir as lesões. Além disso, a intensidade e duração do treino do surf, o tipo de material, os movimentos repetidos e a natureza das manobras também são considerados fatores associados ao risco de lesão.

A prática de surf competitivo exige o treino de diversas valências entre elas a força e a resistência muscular, equilíbrio, flexibilidade e coordenação neuromuscular. Uma sessão de treino de surf geralmente dura cerca de 2 horas, mas não é incomum os surfistas que participam de competição treinarem 3 a 4 horas dentro de água e surfarem mais que uma vez por dia, 5 vezes por semana.

A remada consiste no movimento mais realizado durante a prática do surf, e este movimento repetido por algumas horas, associado à postura corporal adotada a este movimento está associada a lesões crónicas do ombro e coluna vertebral. A própria postura adotada durante o ato de surfar promove um aumento do valgo do joelho, sobrecarregando esta articulação.

Relativamente ao material utilizado no surf, este tem sofrido uma evolução ao longo dos anos, onde as pranchas estão ficando cada vez mais leves e menores (shortboard) de forma a permitir mudanças rápidas de direção e manobras com elevada velocidade e diversidade, criando uma maior instabilidade ao atleta, e aumento o número de lesões agudas.

A Fisioterapia aplicada ao surf tem como objetivo prevenir as lesões comuns desta modalidade, assim como melhorar o desempenho físico do atleta; consiste no treino pliométrico e sensório-motor, que permite ao indivíduo estabelecer relações com o ambiente, fornecendo informações sobre a posição dos segmentos articulares de seu padrão de movimento, sendo um fator importante na correção da instabilidade dinâmica e na prevenção de lesões.

Recentemente, foi publicado um estudo que teve como objetivo determinar prevalência de lesões em atletas de surf e verificar a associação de fisioterapia preventiva na redução do número de lesões. Os dados deste estudo revelaram que 56,4% dos atletas referiram ter tido alguma lesão ao longo da prática do surf, e, verificou-se que os atletas que não realizavam um Programa de Fisioterapia Preventiva apresentavam uma probabilidade de 9,95 chances de sofrer uma lesão comparados aos atletas que faziam o programa (Minghelli B, Costa F, Moreira P, Vicente M. Preventive Physiotherapy Applied to Portuguese Surf Athletes: Association in Improving Performance and Reducing the Number of Injuries. Int J Sports Exerc Med 2016; 2:043 – Disponível em: http://clinmedjournals.org/articles/ijsem/international-journal-of-sports-and-exercise-medicine-ijsem-2-043.php?jid=ijsem)”.

 

Comentários