pub

Praia do Amado

Cordão Humano Contra Petróleo

Ação de protesto foi promovida pelo Movimento Anti-Petróleo e Gás de Vila do Bispo (®PauloMarcelino)
Ação de protesto foi promovida pelo Movimento Anti-Petróleo e Gás de Vila do Bispo (®PauloMarcelino)
pub

O Movimento Anti-Petróleo e Gás de Vila do Bispo organizou um cordão humano na Praia do Amado, este domingo, 7 de agosto, contra a exploração de hidrocarbonetos no Algarve. A manifestação foi convocada para aproveitar a presença do famoso surfista norte-americano Garrett McNamara naquela praia do concelho de Aljezur, mas os dois eventos não se cruzaram.

O cordão humano esperou pela conclusão da Buondi Surf Session com McNamara. O Swell-Algarve apurou que a Buondi e o próprio McNamara foram contatados previamente pelos organizadores da manifestação, mas a marca de cafés não quis associar o seu evento ao protesto cívico.

Cordão humano formou uma extensa linha de protesto no areal da Praia do Amado (®PauloMarcelino)

Cordão humano formou uma extensa linha de protesto no areal da Praia do Amado (®PauloMarcelino)

Os promotores do protesto respeitaram a decisão e esperaram até que terminasse o evento Buondi. McNamara levou às crianças de Aljezur uma mensagem ambiental, mas não se associou à manifestação na praia. Dora Gomes, antiga campeã e pioneira do bodyboard feminino em Portugal, participou no cordão humano, emprestando o seu nome e presença à causa.

Foi ao início da tarde que o cordão humano se formou à beira-mar, cobrindo uma longa linha na zona central da praia, formada por dezenas de alunos das diversas escolas de surf que ali operam e por muitos populares. “Nós estamos contra a exploração de petróleo e de gás natural no Algarve e em Portugal”, explicou Nídia Barata, do movimento organizador do protesto, ao Swell-Algarve.

Muitos banhistas aderiram à manifestação (®PauloMarcelino)

Muitos banhistas aderiram à manifestação (®PauloMarcelino)

“A exploração de petróleo e gás é incompatível com uma Costa Vicentina de qualidade. Isto vai ser um dano. As atividades de prospeção e de extração têm perdas e eles usam químicos para fazer perfuração. Tudo isso vai afetar os meio ambiente e mesmo os cetáceos que visitam a nossa costa”, comentou a porta-voz do Movimento Anti-Petróleo e Gás de Vila do Bispo.

Nídia Barata acrescentou que esta forma de protesto vai continuar e que está já a ser planeado um outro cordão humano, para o próximo fim-de-semana, na Ilha de Tavira.

Comentários