pub

Modalidade regressa a Portimão em 2020

Portugal Termina em 4º no Europeu de Ultimate de Praia

Seleção de Portugal esteve muito perto de conquistar uma medalha em Portimão (®Robert Engelbrecht/EBUC)
pub

Foi em clima de grande festa e com centenas de espectadores na arena da Praia da Rocha, em Portimão, que chegou ao fim a edição deste ano do Campeonato Europeu de Ultimate de Praia, disputado por 1350 atletas de 88 equipas em representação de 22 países. No próximo ano, Portimão volta a ser palco de um campeonato europeu de Ultimate de Praia, mas desta vez para clubes.

Portugal repetiu na categoria principal (Mixed), o 4º lugar, como nos Europeus de 2013 e nos Mundiais de 2011 e 2015. Para Sofia Campos Pereira, diretora do Torneio, “foi fantástico receber tantos atletas de Ultimate em Portugal e viver estes dias de pura adrenalina e fair play. Portugal ainda não conquistou a tão desejada medalha, mas esteve muito perto de o conseguir. Estamos muito orgulhosos das nossas equipas”, refere.

Três países regressam a casa com duas medalhas de ouro: a Suécia, que venceu em Masters e Great Grand Masters, a Rússia, presente em três das oito finais, que venceu em Mulheres e Mixed, e a Grã-Bretanha, que venceu em Homens e Grand Masters.

A Alemanha leva o ouro em Masters Mixed, ao passo que a Espanha, que conseguiu chegar a cinco finais, só venceu em Masters Mixed feminino. Por fim, no que toca ao prémio de Espírito do Jogo, a seleção mais pontuada pelos adversários foi a Irlanda, em Masters masculios, que somou 12,8 pontos. Recorde-se que esta modalidade promove o ‘fair play’, já que se joga sem árbitro.

No último dia, houve também o lançamento do Manual de Ultimate e Desportos de Discos nas Escolas, da autoria do Presidente da APUDD (Associação Portuguesa de Ultimate e Desportos de Disco), José Amoroso. Este livro quer contribuir para a disseminação deste desporto em contexto escolar no nosso país. “Pretendemos que este Manual faça parte de todas as escolas do país e arquipélagos e que a Direção Geral de Educação coloque esta modalidade no Programa Nacional de Educação Física”, explica José Amoroso.

Fonte: Nota de Imprensa

Comentários