pub

Brasileiro Rodrigo Koxa surfou onda de 24,38 metros

WSL Big Wave Awards Celebram Novo Recorde na Nazaré

Rodrigo Koxa na gala em Los Angeles. Brasileiro de 38 anos de idade é o novo recordista para a maior onda surfada, uma montanha de água com 24,38 metros de altura, na Nazaré (®Wlodarczyk/WSL)

Os melhores surfistas de ondas grandes juntaram-se em Santa Monica, Los Angeles, para a gala Big Wave Awards da World Surf League. O evento, na sede da Red Bull, premiou as melhores performances em mar gigante o ano passado, incluindo a celebração do novo Recorde Mundial protagonizado pelo brasileiro Rodrigo Koxa, 38 anos de idade, na Nazaré.

Rodrigo Koxa é, oficialmente, o novo detentor do Recorde Mundial para a maior onda alguma vez surfada, depois de ter recebido, ontem à noite (madrugada deste domingo em Portugal Continental), o prémio Quiksilver XXL Biggest Wave. O painel de juízes para os Big Wave Awards concluiu que a onda recordista surfada por Koxa na Nazaré, Portugal, no dia 8 de novembro de 2017 tinha 80 pés (24,38 metros) de altura, superando em 61 centímetros o recorde de Garrett McNamara, estabelecido em 2011, também na Nazare, com uma onda de 78 pés (23,77 metros).

O prémio Quiksilver XXL Biggest Wave (Maior Onda do Ano) é atribuído ao surfista que, em remada ou ‘tow-in’, apanhe a maior onda do ano. Koxa conquistou essa distinção e também tem agora o seu nome no Livro Guinness de Recordes Mundiais, no recorde da maior onda alguma vez surfada.

“Tenho tentado surfar ondas grandes toda a minha vida e tive uma experiência intensa em 2014, quando quase ia morrendo na Nazaré. Quatro meses depois tinha pesadelos e não queria viajar, fiquei assustado e a minha mulher ajudou-me psicologicamente. Agora estou, simplesmente, feliz. Este é o melhor dia da minha vida”, disse o surfista brasileiro, Rodrigo Koxa, na gala.

Maior onda do Ano e no recorde do Mundo foi estabelecido na Nazaré, dia 8 de novembro de 2017 (®PedroCruz)

O Prémio Maior Onda do Ano foi um dos dois prémios alcançados na Nazaré e atribuídos na Gala da World Surf League em Los Angeles. O outro prémio foi o da Maior Queda do Ano (Wipeout of the Year), atribuído ao britânico Andrew Cotton, que fracturou a vértebra l2 na Praia do Norte, no mesmo dia em que Koxa estabeleceu o novo recorde mundial. Seis meses depois do acidente, Cotton está agora a começar a regressar ao mar (ver notícia).

O Prémio Ride of the Year destaca a melhor imagem de um surfista numa onda grande e foi este ano atribuído ao surfista Ian Walsh, por um tubo incrível feito durante o campeonato Pe’ahi Challenge 2018, que lhe valeu também o Prémio Tubo do Ano.

Paige Alms recebeu o Prémio Feminino Hydro Flask para a Melhor Performance do Ano pela terceira vez. Além de celebrar a distinção consecutiva, Alms também foi homenageada por ter defendido o seu título mundial de Ondas Grandes depois de ter vencido, de novo, o Pe’ahi Challenge na categoria Feminino.

O novo fenómeno brasileiro Lucas ‘Chumbo’ Chianca venceu o Prémio Masculino para a Melhor Performance do Ano. Recorde-se que o surfista brasileiro, 22 anos de idade, venceu este ano o Nazaré Challenge, com uma exibição que também contribuiu para o prémio recebido.

Aaron Gold, vencedor do Prémio Remada em 2016, voltou a vencer o mesmo prémio este ano por uma onda surfada em Pe’ahi, no dia 14 de janeiro. Gold é ainda o recordista mundial para a maior onda surfada com arranque em remada, estabelecido em 2016 com uma onda de 63 pés (19,2 metros).

Comentários