pub

Algarvio sucede a João de Macedo no Big Wave Tour da WSL

Alex Botelho Entra no Mundial de Ondas Grandes

Alex Botelho, à direita, no Nazaré Challenge. Surfista algarvio vai ser membro de pleno direito no Big Wave Tour 2018/2019 (®MiguelNunesMTN)

O surfista algarvio Alex Botelho foi o melhor português no Big Wave Tour 2017/2018, que terminou no final de fevereiro. O atleta do Algarve Surf Clube, residente em Lagos concluiu o circuito mundial de ondas grandes da World Surf League no 8º posto do ‘ranking’ final, dentro do Top 10 que garante qualificação direta para o circuito.

No BWT 2017/2018, Alex Botelho competiu apenas em duas provas e sempre como convidado. O 5.º lugar alcançado no Puerto Escondido Challenge, no México (Final) e o 7.º lugar alcançado no Nazaré Challenge ajudaram o ‘big rider’ algarvio a terminar dentro do top 10. De referir que Alex Botelho ainda viajou até ao Hawaii, para tentar um lugar na segunda etapa (Jaws), precisamente o mesmo ‘spot’ que 2 anos atrás, através de uma Bolsa EDP Mar Sem Fim, o tornou no primeiro português a surfar a mítica onda.

O 8º lugar no ranking garante a entrada na elite mundial das ondas grandes e Alex mostra a sua satisfação: “Sinto-me concretizado por ter consigo alcançar o tour mas ainda é um passo inicial dos meus objectivos. Para a próxima temporada tenciono continuar a surfar o mais possível nas ondas que fazem parte do tour, como a Nazaré em especial, e praticar a parte competitiva. Aumentar a fasquia de treinos e de performance. Creio que temos o melhor lugar do mundo para treinar”.

João de Macedo, à esquerda, com Alex Botelho, num evento, em dezembro, no Algarve (®PauloMarcelino/arquivo)

A única prova que ficou por realizar foi a de Mavericks, na Califórnia, após não terem sido reunidas as condições do mar até ao limite do período de espera do BWT. João de Macedo esperava por mais essa oportunidade para poder encontrar a requalificação mas acredita que as cores Portuguesas continuarão bem representadas: “Estou tão orgulhoso, especialmente como Português, da qualificação do Alex para o Big Wave Tour. Não só pelo talento que todos no meio sabemos que ele tem mas pelo foco e treino a que ele se sujeitou. É muito especial! Os Portugueses nas Ondas Grandes são algo bem real a nível mundial e é um orgulho fazer parte deste movimento”.

Relativamente a não conseguir a requalificação, João de Macedo comenta: “Para mim, foi difícil não ter conseguido desta vez, não tendo atingido os resultados para os quais treinei, mas não deixou de ser um ano incrível, especialmente na Nazaré em que finalmente com a minha campanha de Crowdfunding adquiri uma mota de água e consegui puxar os meus limites com várias performances da qual me orgulho. Os próximos anos vou continuar focado no Nazaré Challenge mas com o sucesso deste ano voltar a canalizar mais energia para treinar em Mavericks e consoante apoios talvez em Peahi’i que são as ondas onde se consegue os Wildcards de Performance para o Tour”.

Fonte: Nota de Imprensa EDP Mar Sem Fim

Comentários