pub

Beatriz Minghelli | Congresso Internacional sobre a Criança e o Adolescente

Algarvia Apresenta no Porto Estudo Sobre Surf

Beatriz Minghelli apresentou o estudo na 1ª Conferência Internacional sobre a Criança e o Adolescente, no Porto (®DR)
Beatriz Minghelli apresentou o estudo na 1ª Conferência Internacional sobre a Criança e o Adolescente, no Porto (®DR)
pub

A investigadora algarvia Beatriz Minghelli apresentou um estudo sobre a prevalência de lesões nas crianças e adolescentes portugueses atletas de surf. O estudo foi apresentado na 1ª Conferência Internacional sobre a Criança e o Adolescente, realizada no Porto, nos dias 26 a 28 de janeiro.

ICCA 2017 – 1st International Conference on Childhood and Adolescence foi organizado por eventQualia e Secção de Pediatria Social da Sociedade Portuguesa de Pediatria. Beatriz Minghelli é coordenadora do 1º Ciclo de Estudos em Fisioterapia no Instituto Superior de Saúde Jean Piaget – Campus Académico de Silves. A professora algarvia levou até à conferência no Porto o tema das lesões no surf de competição, matéria importante num momento de grande crescimento do número de praticantes da modalidade, particularmente crianças e adolescentes, em Portugal.

O estudo apresentado não é novo, mas é recente, tendo sido já publicado em revistas científicas e comunicado noutros fóruns académicos. Desta vez foi apresentado no Porto, levando a voz da ciência algarvia sobre surf ao Norte do País e a uma reunião internacional.

O estudo foi coordenado por Beatriz Minghelli e contou com a participação dos estudantes e diplomados Ana Brotas, David Tavares, Décio Baganha, Inês Jorge, José Sousa, Mariana Guerreiro, Sara Leiria e Vera Pernicha. A investigação foi baseada num inquérito respondido por 380 atletas de surf portugueses, com idades compreendidas entre os 8 e os 18 anos. O inquérito foi realizado em etapas de todos os Circuitos Regionais de Surf em Portugal, excepto Açores.

O estudo demonstrou que perto de 30 por cento dos atletas sofreram uma lesão no ano anterior e apurou que as lesões mais comuns são lacerações (29,61%), lesões nas articulações (22,35%), particularmente nos joelhos (13,41%) e lesões na coluna lombar (11,17%). O objetivo dos estudo foi determinar a prevalência de lesões nas crianças e adolescentes atletas de surf.

Os números encontrados têm suscitado a discussão em torno da importância de colocar os atletas em programas de fisioterapia preventiva, ou treino funcional. A base científica que comprova essa mais-valia é algarvia.

Comentários