pub

Surfistas brasileiros no Algarve apoiados pela Northcore

Atamay e Moreno em Força no Regional

Atamay Batista, à esquerda, Nuno Viegas, ao centro, e Moreno Lelis, à direita (®Northcore)
Atamay Batista, à esquerda, Nuno Viegas, ao centro, e Moreno Lelis, à direita (®Northcore)
pub

O Circuito Regional de Surf do Sul vai ter este ano um novo talento a competir nas categorias Open e Longboard. Atamay Batista, surfista brasileiro radicado há dois anos em Vale da Telha vai correr o circuito algarvio com o apoio Northcore, marca que também já tinha colocado no regional e reforçou este ano o apoio a outro surfista brasileiro residente no Algarve, Moreno Lelis.

Atamay Batista surpreendeu quem ainda não o tinha visto surfar ao participar na etapa do regional do ano passado no Castelejo. Foi uma participação imprevista e apenas em Longboard. Atamay fez 2º lugar na prova, perdendo apenas para o campeão espanhol Alberto Fernandez. Este ano, Atamay vai estar em todas as etapas, em Open e Longboard.

“Este patrocínio (Northcore) é Jesus Cristo. Isto foi através da amizade com o Nuno (Viegas, representante e distribuidor Northcore, com sede na Arrifana); ele me incentivou a voltar a competir. Abracei essa ideia e vou tentar cumprir”, disse Atamay Batista, ao Swell-Algarve.

Atamay Batista tem 29 anos de idade e um palmarés em competição que justifica claramente a qualidade com que surpreendeu muitos espectadores e concorrentes no Castelejo. Atamay foi Campeão Metropolitano de Iniciados em 2003 (equivalente a Sub-14, shortboard, na zona metropolitana de Cabo de Santo Agostinho) e Campeão Estadual de Pernambuco em longboard, em 2005. A qualidade do seu surf e a sua forma tranquila de estar são uma mais-valia para o circuito regional.

Moreno cresceu numa praia de talentos

Moreno Lelis fixou-se em Lagos há um ano e meio e a qualidade do seu surf começou rapidamente a fazer-se notar nas praias algarvias. Com o apoio da Northcore, o surfista brasileiro, 31 anos de idade, entrou no ano passado no circuito regional do Sul. Moreno participou em três das quatro etapas: foi finalista na Falésia, semifinalista em Faro e chegou aos quatros-de-final no Castelejo.

Este ano, Moreno Lelis viu o seu apoio Northcore reforçado. “Estou feliz. Eles me ajudavam mas ainda não me sentia muito integrado. Não era oficial. Este ano consolidou. Já me deram mais material; estão acreditando mais”, disse Moreno. “Vou estar competindo em todas as etapas do regional”, garantiu.

Moreno Lelis não é um surfista com títulos, muito embora tenha feito 4º e 5º lugar em ‘rankings’ finais do circuito baihano de surf. “A competição nunca foi a minha prioridade”, justifica. Moreno Lelis cresceu no surf – “cresci na fábrica de pranchas de surf do Samir Farias Silva, o meu pai do surf” – e evoluiu na Praia do Forte, no litoral Norte da Bahia, ao lado de atletas conhecidos, como Bino Lopes, que este ano quase entrou no CT. É um surfista ‘abusado’, rápido e radical nas ondas e emana uma boa disposição que não passa despercebida na praia.

Comentários