pub

Huawei Cascais Pro | 5ª Etapa | Dia 1

Algarve Forte na Liga Moche

Marlon Lipke fez a melhor pontuação do dia no Guincho. Surfista algarvio ainda pode ser campeão nacional (®PedroMestre/ANSurfistas)
Marlon Lipke fez a melhor pontuação do dia no Guincho. Surfista algarvio ainda pode ser campeão nacional (®PedroMestre/ANSurfistas)
pub

O Algarve teve uma presença forte no arranque do Huawei Cascais Pro, 5ª Etapa (última) da Liga Moche 2016, esta quinta-feira, 6 de outubro. Marlon Lipke (Algarve Surf Clube) fez a melhor pontuação do dia na Praia do Guincho e reforçou o seu estatuto como um dos candidatos ao título nacional nesta prova. Frederico ‘Martim’ Magalhães (Clube Naval de Portimão) alcançou hoje a sua primeira vitória em baterias no circuito, contribuindo para a boa prestação algarvia, como Francisco Duarte (CNPortimão) e Eduardo Fernandes (AlgarveSC), que também venceram os respetivos ‘heats’.

O primeiro dia do Huawei Cascais Pro foi preenchido com as 16 baterias da Ronda 1 Masculina. O mar esteve difícil, desacertado e com corrente forte, o que dificultava encontrar as boas ondas de metro e com potencial para conseguir notas altas. Estiveram na água seis (6) atletas em representação de clubes algarvios e cinco (5) continuam em prova, quatro (4) dos quais com vitórias na Ronda 1.

Primeiro dia de competição na Praia do Guincho durou sete horas (®PedroMestre/ANSurfistas)

Primeiro dia de competição na Praia do Guincho durou sete horas (®PedroMestre/ANSurfistas)

Ivan Bailote foi o primeiro algarvio a competir hoje na Praia do Guincho. O atleta do Albufeira Surf Clube fez 9,15 pontos (5,00+4,15) e apurou-se para a Ronda 2, atrás de Dylan Groen (9,85). Na Ronda 2, Ivan Bailote vai encontrar João Moreira, Guilherme Fonseca e Miguel Madeira.

Miguel Marinho, vice-campeão nacional Grand Masters e também atleta do Albufeira Surf Clube, foi protagonista do único desaire algarvio do dia. O atleta de Albufeira foi eliminado com uma pontuação modesta (4,90 | 2+50+2,40), em 3º numa bateria com 3 atletas, ganha por Ruben Gonzalez (12,75) e na qual também seguiu em frente, em 2º, Francisco Laranjinha (7,10).

Francisco Duarte venceu hoje e diz que vai "arriscar mais" amanhã (®screenshot)

Francisco Duarte venceu hoje e diz que vai “arriscar mais” amanhã (®screenshot)

Francisco Duarte (9,65 | 4,75+4,90) venceu a sétima bateria do dia, na sua estreia em competição como ‘team rider’ Hurley Portugal. O surfista de Portimão comandou a bateria e deixou atrás de si João Félix (7,70). “Foi fixe. Dá-me confiança. Fiz um heat inteligente. Amanhã (sexta-feira) vou ter de arriscar mais”, disse Francisco Duarte, ao Swell-Algarve. O atleta do Clube Naval de Portimão vai defrontar na próxima ronda o líder do ‘ranking’, Pedro Henrique, e também Gonçalo Fragoso e Francisco Laranjinha.

Frederico ‘Martim’ Magalhães (10,20 | 4,50+5,70) resistiu ao assalto de João Cardoso (2º, com 10,10 pontos) e segurou sempre a liderança na sua bateria. “Foi a minha primeira vitória na Liga Moche. Até no QS já tinha ganho, mas na Liga ainda não tinha calhado. O ‘heat’ foi engraçado. Lá fora não se via a placa e não se ouvia nada. Quando cheguei ao ‘outside’ já tinha começado, mas deu para descobrir boas ondas”, disse ‘Martim’ Magalhães, ao Swell-Algarve.

'Martim' Magalhães alcançou a sua primeira vitória na Liga Moche. Imagem de uma entrevista pós-head que fica na História da carreira do surfista (®screenshot)

‘Martim’ Magalhães alcançou a sua primeira vitória na Liga Moche. Imagem de uma entrevista pós-heat que fica na História da carreira do surfista (®screenshot)

A ‘fava’ algarvia da Ronda 2 saiu a ‘Martim’ Magalhães, que vai competir amanhã contra José Ferreira, autor da melhor onda do Dia 1 (9,25 pontos) e um dos candidatos ao título; Henrique Pyrrait, companheiro de treinos do algarvio; e Nicolau Von Rupp, inscrição de última hora feita hoje na praia.

O melhor momento algarvio do dia surgiu logo na bateria seguinte. Marlon Lipke fez a melhor pontuação do dia (16,75 | 8,00+8,75). O surfista algarvio ainda pode ser campeão nacional, caso vença a etapa (o que aconteceu em 2013) e Pedro Henrique não faça melhor que 5º lugar. “Não tenho um objetivo definido (para a etapa). Quero passar heats e fazer bons scores”, disse Marlon Lipke, que na Ronda 2 vai competir contra Francisco Almeida, Guilherme Ribeiro e João Cardoso.

Eduardo Fernandes já está habituado a vencer baterias (®screenshot)

Eduardo Fernandes já está habituado a vencer baterias (®screenshot)

Eduardo Fernandes, surfista de Carcavelos mas atleta do Algarve Surf Clube, venceu a 13ª bateria do dia com uma prestação sólida (13,75 | 7,50+6,25). “Estava difícil ler a onda, mas esforcei-me o máximo dentro de água”, disse Edu, na entrevista curta após a vitória no ‘heat’. Amanhã, na Ronda 2, Eduardo Fernandes vai defrontar João Guedes, Ivo Cação e Tomás Ribeiro.

O campeão nacional de surf 2016 decide-se no Huawei Cascais Pro, com quatro atletas na luta pelo ‘trono’ e todos eles a vencerem as respetivas baterias no primeiro dia. Pedro Henrique lidera o ‘ranking’ e é o único que depende apenas de si, bastando-lhe chegar à final. Todos os outros precisam de vencer a etapa e dependem do resultado do líder. José Ferreira pode ser campeão se vencer a etapa e Pedro Henrique não chegar à final. Marlon Lipke precisa que Pedro Henrique não faça melhor que 5º e Filipe Jervis só pode ser campeão se o líder não for além do 9º lugar.

Marlon Lipke é um dos surfistas que pode terminar a etapa como campeão nacional (®screenshot)

Marlon Lipke é um dos surfistas que pode terminar a etapa como campeão nacional (®screenshot)

Tiago Pires não está em prova e também era um forte candidato ao título (possibilidades idênticas às de José Ferreira). Ausentes estão também outros candidatos ao título, como Frederico Morais e Vasco Ribeiro, que optaram por uma prova do circuito mundial de qualificação WSL na Costa Rica.

O ‘call’ para amanhã, sexta-feira 7 de outubro, é às 7h30. Vai ser o dia mais longo do campeonato. Só no início se saberá se avança a Ronda 2 masculina ou se começa a competição feminina, na qual estão 16 atletas inscritas, entre as quais as algarvias Yolanda Hopkins (CNPortimão) e Inês Pascoal (AlbufeiraSC).

 

Comentários