pub

Campeonato Nacional de Surf Esperanças 2016

Algarvio João Mendonça Campeão Nacional Sub-12

Algarvio João Maria Mendonça é o novo Campeão Nacional de Surf Sub-12. É o seu primeiro título nacional e foi conquistado hoje, no Algarve, na Praia do Castelejo (®PauloMarcelino)
Algarvio João Maria Mendonça é o novo Campeão Nacional de Surf Sub-12. É o seu primeiro título nacional e foi conquistado hoje, no Algarve, na Praia do Castelejo (®PauloMarcelino)
pub

O surfista algarvio João Maria Mendonça sagrou-se hoje Campeão Nacional de Surf Sub-12. O atleta da Arrifana dominou por completo a finalíssima do Campeonato Nacional de Surf Esperanças 2016 que juntou os melhores surfistas Sub-12 de Portugal, este fim-de-semana, em luta pelo título na Praia do Castelejo, concelho de Vila do Bispo, Algarve. O campeão venceu todas as suas baterias e fez a melhor onda e a melhor pontuação da prova.

Depois de um primeiro dia com muita ação e emoção (ver notícia), a competição no segundo dia, hoje, domingo 2 de outubro, começou pelas 12h00 com 16 atletas ainda em prova, incluindo dois algarvios. Além de João Maria Mendonça, também Diogo Brasil (Iate Clube Marina de Portimão / Playsurf) manteve o Algarve presente nas ondas da Praia do Castelejo.

Diogo Brasil chegou à finalíssima no Castelejo como vice-campeão regional do Sul. O surfista de Portimão conseguiu ultrapassar as três fases disputadas no sábado e foi hoje eliminado na Ronda 4, em 4º na sua bateria. Diogo Brasil terminou a finalíssima nacional Sub-12 como o melhor algarvio apurado pelo Circuito Regional do Sul 2016.

Diogo Brasil a preparar-se para a Ronda 4. Foi o melhor classificado dos atletas apurados pelo Circuito Regional do Sul (®PauloMarcelino)

Diogo Brasil a preparar-se para a Ronda 4. Foi o melhor classificado dos atletas apurados pelo Circuito Regional do Sul (®PauloMarcelino)

A finalíssima nacional juntou os campeões e vice-campeões Sub-12 dos seis circuitos regionais portugueses e mais os melhores classificados por quotas regionais e quatro ‘wildcards’ atribuídos pela Federação Portuguesa de Surf (ver notícia), num total de 32 atletas, entre os quais nove algarvios.

O algarvio João Maria Mendonça, federado pelo Surfing Clube Costa do Sol, chegou ao Castelejo como campeão regional Sub-12 da Grande Lisboa, circuito pelo qual optou como qualificação para o Campeonato Nacional de Surf Esperanças 2016.

João Maria tinha estatuto de favorito à partida por ser campeão de Lisboa e arredores e finalista mundial do Totally Crustaceous Tour da Volcom. O surf vertical e crítico que praticou no Castelejo durante este fim-de-semana destacou-o claramente da concorrência, mesmo tendo competido medicado, para debelar febre resultante de uma virose.

João Maria Mendonça na Ronda 4, hoje, quando fez a melhor onda e o melhor 'score' do campeonato (®PauloMarcelino)

João Maria Mendonça na Ronda 4, hoje, quando fez a melhor onda e o melhor ‘score’ do campeonato (®PauloMarcelino)

O atleta treinado pelo surfista algarvio Miguel Mouzinho não transpareceu qualquer fragilidade nas ondas. João Maria Mendonça tinha feito no sábado a melhor onda (8,25 pontos em 10 possíveis) e a melhor pontuação combinada de duas ondas numa bateria (14,30 pontos em 20 possíveis). Hoje, na Ronda 4, que abriu o segundo dia de competição, o surfista algarvio elevou a fasquia: fez uma onda de 9,25 pontos e uma pontuação de 15,75 pontos, os melhores números do campeonato.

A exibição de João Maria Mendonça na Ronda 4 foi a melhor de todo o campeonato. Foi a segunda vez na prova que o surfista algarvio deixou atrás de si Martim Nunes (CRCQL). O surfista de Carcavelos bateu-se com valentia, fazendo a terceira melhor onda do campeonato (8 pontos) e um ‘score’ de 13,50 pontos. Seria suficiente para ganhar qualquer outra bateria, mas não para vencer o talentoso surfista da Arrifana.

Depois da Ronda 4, ainda com baterias com quatro atletas cada (seguiam em frente os dois primeiros de cada bateria); a prova avançou para quartos-de-final com formato ‘man-on-man’ (apenas dois atletas por bateria) e regra de prioridades. João Maria Mendonça ultrapassou os quartos-de-final com o melhor ‘score’ (13,05 | 7,25+5,80) da fase, de novo, e voltou a encontrar Martim Nunes nas meias-finais, dessa vez em duelo ‘man-on-man’.

Martim Nunes (na imagem, Ronda 4) surfou contra o campeão três vezes e nunca conseguiu ser mais forte (®PauloMarcelino)

Martim Nunes (na imagem, Ronda 4) surfou contra o campeão três vezes e nunca conseguiu ser mais forte (®PauloMarcelino)

O embate entre João Maria Mendonça e Martim Nunes nas meias-finais podia ter sido o figurino da final do campeonato, pelos pontos que ambos conquistaram nas ondas durante o fim-de-semana. O surfista algarvio (12,50 | 6,50+6,00) voltou a impor-se ao adversário de Carcavelos (9,10 | 5,50+3,60) e avançou para a final. Martim Nunes terminou a prova em 3º.

A outra meia-final foi disputada por Lourenço Sousa (AquaCarca) e Matias Canhoto (PPSC), o mais novo atleta em prova, com apenas 9 anos de idade. Lourenço Sousa venceu o duelo com um ‘score’ modesto (10,30 | 6+4,30), mas chegou à final com toda a justiça, porque foi um dos surfistas mais fortes durante todo o fim-de-semana. Matias Canhoto ficou em 3º lugar, resultado que augura bom futuro para o ‘caçula’ deste campeonato.

A final não começou bem para João Maria Mendonça, que caiu na primeira onda, o que é raro no surfista da Arrifana. Lourenço Sousa abriu com uma boa esquerda e colocou pressão sobre o algarvio. João Maria recuperou a sintonia com o mar e a prancha e alterou o rumo dos acontecimentos com duas ondas fortes sem resposta e debaixo da prioridade do adversário. O controlo da final não mais fugiu ao algarvio.

Lourenço Sousa, finalista vencido, foi o melhor da outra metade do quadro de competição (®PauloMarcelino)

Lourenço Sousa, finalista vencido, foi o melhor da outra metade do quadro de competição (®PauloMarcelino)

João Maria Mendonça (13,25 | 7+6,25)  venceu com toda a justiça e conquistou o seu primeiro título nacional de surf. Lourenço Sousa (9,10 | 5,10+4) perdeu a final e é vice-campeão nacional.

“Quero agradecer ao mar, que é a coisa mais importante de todas, e também aos meus treinadores e à minha família”, disse João Maria Mendonça, em discurso no pódio. Depois, em declarações ao Swell-Algarve, o surfista algarvio disse que agora vai “continuar a trabalhar mais” porque, revelou, na próxima época vai competir na categoria Sub-14, apesar de ter apenas 11 anos de idade.

“A vitória do João Maria não me surpreende. Aquilo que trabalhamos no João não é para títulos nacionais, mas para lutar por títulos na Europa e no Mundo. O mérito é todo dele”, disse o treinador Miguel Mouzinho, ao Swell-Algarve.

João Mendonça, carregado em ombros após a final (®PauloMarcelino)

João Mendonça, carregado em ombros após a final (®PauloMarcelino)

A finalíssima nacional Sub-12 do Campeonato Nacional de Surf Esperanças 2016 foi organizada pelo Algarve Surf Clube, com o patrocínio oficial da Câmara Municipal de Vila do Bispo, os apoios principais Vazva, Electric e Hurricane, os apoios Federação Portuguesa de Surf, Seventy One, Ferox, Restaurante The Hangout, Sagres, Luso, Fisiorider, Algarve Surf School, Restaurante Carlos e Restaurante Castelejo. O Swell-Algarve foi o ‘media partner’.

O evento colocou uma estrutura leve e confortável na Praia do Castelejo, onde não faltou um insuflável gigante para diversão gratuita, e incluiu ainda uma Skate Jam e Festival de Música em Sagres, ao início da noite de sábado, com instalação provisória de uma rampa ‘half pipe’ e atuações ao vivo das bandas Gorilla Riot (Inglaterra) e Cupcake Mafia (Ericeira) e do DJ e surfista algarvio Toby One.

“O evento foi muito gratificante, pela confiança em nós depositada pela Federação Portuguesa de Surf e o apoio da Câmara Municipal de Vila do Bispo. Foi muito trabalho, para ficar tudo perfeito. Com o insuflável na praia e a skate jam e os concertos em Sagres, quisemos trazer mais qualquer coisa além da competição… e talvez conseguir a instalação de uma rampa fixa para skate em Sagres”, disse Zara Mata, presidente do Algarve Surf Clube, ao Swell-Algarve.

Sérgio Brandão, Adelino Soares, Zara Mata, João Aranha e os quatro atletas no pódio Sub-12 (®PauloMarcelino)

Sérgio Brandão, Adelino Soares, Zara Mata, João Aranha e os quatro atletas no pódio Sub-12 (®PauloMarcelino)

“Um município que investe no surf com pessoas assim, só pode dar por bem empregue o dinheiro”, elogiou o presidente da Câmara de Vila do Bispo, Adelino Soares, no discurso que fez na praia, durante a cerimónia de entrega de prémios.

“O campeonato correu muito bem. Todos os atletas que chegaram cá já eram vencedores (regionais). O Algarve Surf Clube trabalhou muito bem, montando na praia uma estrutura muito boa e leve. A estratégia de descentralização do Campeonato Nacional de Esperanças está a funcionar muito bem e é uma aposta ganha pela federação”, disse João Aranha, presidente da Federação de Surf, em declarações na praia, ao Swell-Algarve.

A próxima finalíssima do Campeonato Nacional de Surf Esperanças 2016 é a da categoria Sub-18 Masculino e está agendada para os dias 15 e 16 de outubro, daqui a duas semanas, em Leça da Palmeira, organizada pela Associação Onda do Norte (AON).

O Algarve tem cinco atletas apurados para essa prova: Bruno Gregório (PortimãoSC), António Silveira (CNPortimão), Ricardo Augusto (PortimãoSC), Henrique Poucochinho (PortimãoSC), Francisco Bívar (PortimãoSC).

Vídeo Finalíssima Sub-12, by Marcos Clímaco

Links:

Galeria de Imagens Dia 2

Dia 1

Galeria de Imagens Dia 1

 

Comentários