pub

Circuito de Bodyboard 2016 – Restaurante O Sacas | Etapa 1

Regional Arranca Com Mar Pesado

Mar muito pesado na Zambujeira, sábado, para a primeira etapa do Circuito Bodyboard 2016 - Restaurante O Sacas (®FilipeCosta)
Mar muito pesado na Zambujeira, sábado, para a primeira etapa do Circuito Bodyboard 2016 - Restaurante O Sacas (®FilipeCosta)
pub

O Circuito Bodyboard 2016 – Restaurante O Sacas começou ontem, sábado, 26 de março. A primeira etapa deste circuito regional Alentejo-Algarve foi realizada num único dia, na Praia da Zambujeira do Mar, com condições muito pesadas no mar, por causa das quais não houve competição Sub-14 e Masters. A vitória na etapa coube aos locais André Gonçalinho, em Open; e Francisco Lopes, em Sub-18.

As condições do mar variaram durante o dia entre o aceitável, da parte da manhã; e o quase impossível, da parte da tarde. Apesar das dificuldades, os atletas Open conseguiram rubricar alguns bons momentos de bodyboard, com manobras aéreas e tubos, que entusiasmaram o público na praia.

Atletas conseguiram algumas boas manobras em condições muito difíceis (®PauloSilva/NBZM)

Atletas conseguiram algumas boas manobras em condições muito difíceis (®PauloSilva/NBZM)

Durante a maré mais vazia, e com o swell a crescer, houve alturas de muita espuma, corrente e ‘close-outs’. Esta fase ditou alguns afastamentos improváveis, e foi também a parte mais monótona do dia de competição. Participaram na prova cerca de 30 bodyboarders.

Antes das meias-finais Open, foi realizada da final Sub-18, que pôs à prova os bodyboarders mais novos, talvez com as piores condições do dia. Os jovens bodyboarders mereciam melhor, mas certamente que o vão poder usufruir numa próxima etapa. A competição é mesmo assim.

Atletas e público na praia, a assistir à prova (®FilipeCosta)

Atletas e público na praia, a assistir à prova (®FilipeCosta)

Na meias-finais Open, e apesar de o mar a mudar visivelmente, a maré um pouco mais cheia melhorou a formação das ondas e fez com que a final contasse com boas ondas e sem dúvida a manobra do dia, um invert muito power, por parte de André Gonçalinho, que acabaria por ditar a sua vitória na categoria Open.

O atleta algarvio Filipe Costa, responsável pelo gabinete de fisioterapia e treino funcional Fisiorider, em Portimão, conseguiu passar o seu primeiro ‘heat’, nos oitavos-de-final, e foi eliminado na fase seguinte, não concluindo a bateria. “Estava muito desconfortável. Acabei por sair. E depois de mim saiu outro”, comentou Filipe Costa, para o Swell-Algarve.

Mar esteve muito difícil, mas abriu algumas paredes nas meias-finais Open (®PauloSilva/NBZM)

Mar esteve muito difícil, mas abriu algumas paredes nas meias-finais Open (®PauloSilva/NBZM)

O finalista Open João Silva, de Odeceixe, confirmou as dificuldades. “O mar estava muito com grande, com ondas de 2,5 a 3 metros lá fora. A conhecida esquerda do inside na Zambujeira não funcionou; era só espuma. Só na final é que conseguimos surfar lá fora, mas era muito complicado passar a rebentação e apanhar ondas. Eu não consegui fazer uma única onda na final”, disse o ‘rider’, ao Swell-Algarve.

Finais 1ª Etapa CBB 2016 Restaurante O Sacas | Zambujeira do Mar

Podio Open (®NBZM)

Pódio Open (®PauloSilva/NBZM)

Open

1. André Gonçalinho (Zambujeira do Mar)

2. Luís Pinheiro (Costa de Caparica)

3. Jefrey D’Água (Aljezur)

4. João Silva (Odeceixe)

Pódio Sub-18, incompleto (®NBZM)

Pódio Sub-18, incompleto (®PauloSilva/NBZM)

Sub-18 (final direta)

1. Francisco Lopes (Zambujeira do Mar)

2. Maksim Mihaylov (Zambujeira do Mar)

3. Paulo Marques (Aljezur) | ausente na foto

4. Konstantin Madzharov (Zambujeira do Mar)

Comentários