pub

Brasileiro chegou a Lagos em Agosto de 2015

Moreno Lelis, um novo surfista no Algarve

Moreno Lelis na Praia do Barranco, ontem, quinta-feira 11 de fevereiro (®JorgeSantos)
Moreno Lelis na Praia do Barranco, ontem, quinta-feira 11 de fevereiro (®JorgeSantos)
pub

“Está aí um brasileiro que parte a loiça toda”. O novo surfista nas ondas algarvias foi assinalado desde logo pelo campeão regional algarvio, antes de ter início a competição na Etapa 1 do Circuito Regional de Surf do Sul 2016, na Praia da Falésia. Moreno Lelis fez por merecer a deferência e foi a grande surpresa na prova, estreando-se com uma vitória sobre Miguel Mouzinho na segunda bateria dos oitavos-de-final Open, na manhã da passada terça-feira, 9 de fevereiro. O campeão venceu depois a final Open, onde “o brasileiro” também chegou e assinou ondas com surf fluído, rápido e boas linhas.

Surfista brasileiro garante que as manobras aéreas não são a sua especialidade (®JorgeSantos)

Surfista brasileiro garante que as manobras aéreas não são a sua especialidade (®JorgeSantos)

Moreno Lelis tem 30 anos de idade e mudou-se do estado brasileiro da Bahia, para a cidade algarvia de Lagos, em Agosto do ano passado. O casamento com a namorada portuguesa ditou a mudança do surfista. “A minha namorada falou para mim que não tinha surf no Algarve. Eu vim um pouco desiludido. Cheguei aqui, peguei no carro, botei GPS e fui na Arrifana. Era verão e não tinha onda. Mas aí fui no Monte Clérigo, peguei duas ondas e começou a ser melhor. Afinal há ondas no Algarve”, disse Moreno Lelis, ao Swell-Algarve.

Desde então, Moreno Lelis não tem parado de surfar por todo o Algarve. “Já surfei no Tonel bem grande e deu altos tubos. As minhas ondas preferidas aqui são o Beliche e a Cordoama… e também o Tonel quando está grande”, comentou o surfista. A bitola deste brasileiro ‘goofy’ é “mar médio, de 1 metro até 2,5 metros”. E explica: “Mais do que isso fica limitado; menos que isso não tem como expressar o seu base lip (expressão brasileira que refere o ‘carve’, o trabalho de ‘rail’)”.

Moreno prefere "o trabalho base lip" e dá nas vistas onde quer que vá surfar (®JorgeSantos)

Moreno prefere “o trabalho base lip” e dá nas vistas onde quer que vá surfar (®JorgeSantos)

Esta sexta-feira, Moreno Lelis esteve a surfar no Zavial. Ontem, quinta-feira 11 de fevereiro, esteve no Barranco, com boas condições: ondas de metro e vento ‘offshore’. “Tava divertido. Curti para caramba”, recordou o surfista brasileiro, que foi fotografado em manobras aéreas pelo fotógrafo Jorge Santos. Perguntamos se esse era o seu jogo. “O aerial não é a minha especialidade, mas costumo treinar bastante porque é sempre uma carta na manga. A minha especialidade é o trabalho de base lip”, revelou Moreno.

Surfista brasileiro tem no seu palmarés títulos regionais da Praia do Forte,  Mata de São João (®JorgeSantos)

Surfista brasileiro tem no seu palmarés títulos regionais da Praia do Forte, Mata de São João (®JorgeSantos)

Moreno Lelis fez muita competição entre os 12 e os 18 anos de idade. “Ganhei alguns títulos regionais na Praia do Forte, no município da Mata de São João. Cheguei a fazer 4º lugar numa etapa do circuito bahiano. Foi o meu melhor resultado. E uma vez entrei num WQS na Praia do Forte, com o ‘Mineirinho’ (Adriano de Souza, campeão do Mundo) e o Jadson (André). Ainda passei duas fases. Foi uma experiência bacana”, disse o surfista brasileiro.

Moreno Lelis identifica-se mais como “um free surfer que compete”. Na verdade, não competia há 8 anos, até entrar na etapa do circuito regional algarvio, na passada terça-feira. Apesar do longo intervalo, nota-se que a experiência está lá, aliada há qualidade do seu surf. Moreno Lelis chegou à final Open (3º lugar) na sua estreia em etapas no Algarve.

Moreno Lelis vai competir em todas as etapas do regional Sul e quer ir ao Nacional Open (®JorgeSantos)

Moreno Lelis vai competir em todas as etapas do regional Sul e quer ir ao Nacional Open (®JorgeSantos)

O surfista está a dar aulas de surf na Fil Surf School, na Praia da Luz, mas já tem nos seus planos “surfar nas quatro etapas do regional”, porque conseguiu para isso mesmo o apoio da Northcore. “Se puder, também vou ao nacional, logo a seguir”, acrescentou Moreno Lelis, que terá agora de escolher um clube, se quiser mostrar o seu surf no palco nacional.

Comentários