pub

Prova em Faro organizada pela Amar Surfing Academia

“Campeonato Repentino” teve “Altas Ondas”

A presença do veterano Ricardo Branco foi um incentivo para os mais novos (®LuisGamito)
A presença do veterano Ricardo Branco foi um incentivo para os mais novos (®LuisGamito)
pub

O “campeonato repentino” de bodyboard organizado pela Amar Surfing Academia na Praia de Faro, este fim-de-semana, 23 e 24 de janeiro, “teve altas ondas e altas manobras”, disse Vítor Monteiro. “Acertamos em cheio. O campeonato superou as nossas expetativas e provou que o bodyboard está bem e recomenda-se”, sublinhou aquele dirigente da associação Amar, ao Swell-Algarve.

A prova foi anunciada com 72 horas de antecedência, assim que ficaram consolidadas as boas previsões para o fim-de-semana e a Amar conseguiu formalizar as devidas autorizações. O objetivo da academia foi aproveitar as boas ondas e ambientar os jovens atletas da associação ao contexto de competição, quer na água quer na preparação e logística do campeonato.

Condições na Praia de Faro tiveram períodos de excelência, com ondas a permitir cinco manobras (®LuisGamito)

Condições na Praia de Faro tiveram períodos de excelência, com ondas a permitir cinco manobras (®LuisGamito)

A associação tem também como objetivo estratégico a reabilitação do bodyboard na região algarvia. A direção da Amar considera que essa vertente estratégica foi cumprida pela boa adesão do público e pela presença de atletas de outras cidades algarvias. A prova foi disputada nas categorias Sub-18 e Open, por um total de 22 atletas.

Mar de fora com mar de Sueste, offshore predominante e ondas de metro no ‘set’ com boa formação, durante os melhores períodos da maré naquela praia, era o que a Amar esperava e foi o que a Praia de Faro produziu durante o fim-de-semana. As condições permitiram bons momentos de bodyboard e testaram a coragem dos mais novos. “Estão todos de parabéns. Tivemos atletas de 13; 14 e 15 anos a mostrar muita coragem e a exceder em muito a capacidade de dropar ondas tubulares. Mostraram atitude”, disse Vítor Monteiro.

Mais novos mostraram coragem e atitude ao enfrentar ondas grandes (®LuisGamito)

Mais novos mostraram coragem e atitude ao enfrentar ondas grandes (®LuisGamito)

No plano da competição, Tomás Coelho venceu na categoria Sub-18 e Vítor Monteiro triunfou na categoria Open. “As ondas sorriram para mim”, comentou Vítor Monteiro, que preferiu destacar o jovem Pedro Domingos, por ter alcançado a sua primeira final Open. “Ele tem 18 anos e está connosco desde que começou, há quatro. Para mim foi ele a grande vitória do campeonato”, disse o treinador e atleta Vítor Monteiro.

Apesar de não ter havido atletas suficientes para abrir a categoria Masters, a adesão do público, a presença de atletas de outras cidades e, sobretudo, o empenho dos jovens atletas alunos da Amar foi o resultado mais importante do “campeonato repentino”. Os ‘mini-riders’ participaram em diversas tarefas de organização, para perceber como funciona um campeonato, além de mostrarem ter aprendido bem as lições estratégicas para a competição e mostrado coragem em mar forte.

Amar Surfing Academia está a planear começar a levar atletas ao Nacional (®LuisGamito)

Amar Surfing Academia está a planear começar a levar atletas ao Nacional (®LuisGamito)

A dinâmica dos mais novos inspira a Amar Surfing Academia. “Estamos a federar a associação, o clube, para pegar nesta malta nova e leva-los a uma ou duas etapas do nacional”, revelou Vítor Monteiro, orgulhoso dos seus atletas. Outro plano em desenvolvimento é uma ‘bodyboard trip’ a uma etapa do mundial em Portugal, em Sintra ou Nazaré, o que prova também o novo fôlego da Amar Surfing Academia.

Finais Amar Bodyboard Fest

Open

1. Vítor Monteiro

2. Ricardo Branco

3. Pedro Domingos

4. Luís Henriques

Sub-18

1. Tomás Coelho

2. Gonçalo Guerreiro

3. Luís Viegas

4. Lourenço Ramos

Comentários