Windsurf – Entrevista a Miguel Martinho
NÃO VOU PARTICIPAR NO SLALOM


Multicampeão português de Slalom e Formula Windsurfing, Miguel Martinho não está satisfeito com os resultados obtidos em 2012. Já a preparar a nova época, o atleta de Portimão falou ao Swell-Algarve sobre o balanço do ano desportivo e as suas previsões para 2013, ano em que vai ser pai pela primeira vez e abandona o campeonato de Slalom devido a divergências com a Associação Portuguesa de Windsurf (APWind).

Swell-Algarve: Que balanço faz da época 2012?

Miguel Martinho: Foi frustrante por falta de apoio para fazer todas as provas internacionais. Não consegui, por exemplo, ir ao Campeonato da Europa, ou disputar o ranking europeu. A situação económica do País não é favorável e 2012 foi um ano olímpico, o que afectou os apoios e calendários da vela.

Voltou a ser campeão nacional em Formula (uma das duas disciplinas de Windsurf com campeonato nacional em Portugal) e Ibérico também em Formula. Mas está frustrado…

Perdi infantilmente o campeonato espanhol de Formula (terminou em 2º) e queria ter ficado no Top 10 absoluto no Mundial (foi 15º entre 120 competidores na água). Em 2011 fui 3º no ranking entre mais de mil atletas. Bom seria ter ido às provas que falhei, sobretudo o Europeu e lutar no ranking europeu. A entrega que uma pessoa tem é tanta que, quando falha uma prova é uma facada nas costas. Já há dois anos que falho o Europeu, uma prova que já ganhei na minha categoria (Peso Leve).

Perdeu o campeonato nacional de Slalom ao não comparecer na última prova. Mas mantém a liderança no ranking nacional da APWind. Quer comentar?

Não fui à última prova do Nacional de Slalom devido à falta de organização da APWind. A prova era para ser a primeira do campeonato de 2012, mas sofreu vários adiamentos, o que levou ao total descrédito por parte dos atletas que disputam o nacional. A minha total desilusão para com essa instituição, de que tanto gosto, levou-me a decidir deixar de participar no Campeonato Nacional de Slalom, pois não posso andar a investir para depois, por conveniência de alguns praticantes, as provas serem alteradas e transferidas de locais e de datas previstas. Assim, a APWind leva ao total descrédito a sua responsabilidade para com alguns atletas. Em relação ao ranking APWind, sinceramente, nem sei em que consiste… como já mencionei, eles alteram as regras do jogo sempre que querem e lhes apetece.

O Windsurf em Portugal está de boa saúde?

Precisamos reforçar e dar mais profissionalismo à modalidade e a quem a organiza. Os campeonatos de Formula e de Slalom, por exemplo, deveriam juntar-se. Sai muito caro aos atletas fazer deslocações para todas as provas dos dois campeonatos. O calendário nacional passaria a ter provas com as duas disciplinas, podendo aumentar os dias de competição e havendo mais actividade dentro e fora de água. Haveria mais participantes e era melhor para organizadores e patrocinadores.


Quais são os seus custos médios por época?

Só em provas são cerca de 20 mil euros (inscrições, viagens, alojamento e alimentação). Os patrocinadores ajudam com equipamento e o Clube Naval de Portimão apoia bastante ao assegurar as despesas.

Como é o seu regime de treino?

Todos os dias faço corrida e ginásio e tento andar à vela. Nesta altura do ano (Inverno), o vento não é muito famoso e é quando fazemos mais treino físico. Começo a treinar pela manhã e tento andar à vela todas as tardes; só faço folga aos domingos.

Como se prepara para as provas?

Duas semanas antes da competição dedico-me mais a aperfeiçoar a técnica. Um dia ou dois antes deixo de fazer qualquer treino físico, para recarregar baterias. Uso suplementos alimentares durante as provas, para recuperar mais depressa do esforço, mas também uso em regime de treino.

Tem treinador?

Sou o meu próprio treinador, agente e motorista. Sempre fiz isto sozinho. E às vezes é complicado: chegar a um aeroporto com 200 quilos de bagagem não é fácil…


Quais são os seus planos para a época 2013?

Estou já a preparar-me de forma intensa. Não vou fazer o Slalom, mas de resto quero ganhar tudo o que perdi em 2012… quero fazer mais e melhor. Quero fazer o Mundial e o Europeu e ficar entre o Top 10 ou mesmo ganhar em absoluto. Quero revalidar os títulos de Formula em Portugal e o Ibérico, e recuperar o de Espanha, que já ganhava desde 2004. Estou com muita força para a nova época, mas tudo depende dos apoios. E tenho um filho(a) a caminho, pelo que vamos ver o que ele(a) me deixa fazer…

Os Jogos Olímpicos estão no seu horizonte?

É uma classe diferente, mais técnica e mais física. A prancha é mais pesada e tem patilhão. Trabalha melhor em vento mais fraco, quase como um barco à vela. Este ano (2012), em Londres, o Windsurf foi substituído pelo Kitesurf, mas já voltou tudo atrás e vai haver Windsurf no Rio de Janeiro, em 2016. Eu gostava de lá ir, mas tinha de começar já a adaptação. É um longo processo e são precisos muitos apoios.

Vai começar a dar aulas de Windsurf?

Sim. Estou a montar uma escola com o Clube Naval de Portimão nas instalações da Praia da Rocha. Quero ajudar a dar dimensão à modalidade e também quero passar a pasta (risos). Já trabalho de Verão com miúdos nas férias desportivas, mas agora quero trabalhar o ano inteiro. Quero ensiná-los e também competir com eles. Ter um treinador que é uma referência na modalidade é um factor forte de motivação e eu quero ver aparecer mais campeões.


PERFIL

Nome: Miguel Martinho (36 anos)

Nascimento: 28-01-1976, Portimão
Altura: 185cm
Peso: 74,5kg
Equipamento:
Formula – Starboard Formula 167 Wide / vela 10.7
Slalom – Starboard Sonic 107 / vela 7.8
Ondas – Starboard Quad 87 / vela 5.2
Clube: Clube Naval de Portimão (CNPortimão)
Patrocinadores: Hyunday (transporte); Starboard (pranchas); Severne (velas, mastros, retrancas); Mystic (fatos e acessórios); Gold Nutrition (nutrição desportiva)

RESULTADOS ÉPOCA 2011-12:

– 15º absoluto no Campeonato do Mundo de Formula Windsurfing (Letónia) – 3º na categoria Peso Leve (<75kg)
– Campeão Ibérico de Formula Windsurfing (venceu a prova única deste campeonato, disputada no Alqueva e também válida para o ranking europeu)
– Vice-campeão de Espanha de Formula Windsurfing
– Campeão de Portugal de Formula Windsurfing
– Líder do ranking nacional APWind de Slalom
– 4º classificado no campeonato nacional de Slalom


///

Windsurfing – Interview with Miguel Martinho
I WILL NOT COMPETE IN SLALOM


Several times Portuguese Slalom and Formula Windsurfing champion, Miguel Martinho is not satisfied with his results in 2012. Already preparing the new season, the athlete from Portimão gave an interview to Swell-Algarve about the the sporting year and his predictions for 2013, the year he will be father for the first time and will be leaving the Slalom Championship because of disagreements with the Associação Portuguesa de Windsurf (APWind).
Swell-Algarve: Was the sporting season of 2012 good? 

Miguel Martinho: It was frustrating for lack of support to go to all international events. I could not, for example, go to the European Championship, or dispute the European ranking. The country’s economic situation is not favorable and 2012 was an Olympic year, which affected sailing supports and calendars.

You were once again portuguese champion in Formula (one of the two disciplines with Windsurfing National Championship in Portugal) and also Formula Iberian champion. But are frustrated …

I lost childishly the Spanish Formula championship (finished 2nd) and I wanted to finish in the Top 10 in the World championship (he was 15th among 120 competitors). In 2011, I was 3rd in the ranking among more than a thousand athletes. I would feel better if I have competed at the events I could not attend, especially the European and to be able to fight in the European ranking. It’s already two years that I fail to go to the European championship, an event that I’ve won in the past, in my category (Lightweight).

You lost the portuguese Slalom championship by not competing in the final event. But you still lead the national APWind ranking. Want to comment?

I did no attend the last event of the Slalom championship due to APWind lack of organization. The event was to be the first of the 2012 championship, but suffered several postponements, which led to the total disbelief on the part of the athletes. My overall disappointment with APWind, much as I like, led me to decide to stop participating in the Portuguese Slalom Championship, because I cannot continue to invest subject to the convenience of some competitors, the events being altered and transferred from locations and dates. Thus, the total APWind discredit in its responsibility to some athletes. Regarding the APWind ranking, honestly I do not know what it is … As I already mentioned, APWind changes the rules whenever they want and they feel like.

Windsurfing in Portugal is in good health?

We need to strengthen and give more professionalism to the sport and to the organizers. The championships of Formula and Slalom, for example, should join. Its to expensive to riders to travel to all the events of the two championships. The national calendar should have joint events (with the two disciplines), maybe extending the competition days and with more activity in and out of the water. There would be more competitors and would be better for organizers and sponsors.

What are your average costs per season?

Only going to competitions costs about 20 thousand euros per season (registration, travel, accommodation and meals). Sponsors help with equipment and Clube Naval de Portimão supports the costs.

How is your training regime?

Every day I run and try to do some gym and sailing. This time of year (winter), the wind is not very good and it is when we do more physical training. I start training in the morning and try to sail every afternoon, only doing Sundays off.

How do you prepare for competitions?

Two weeks before the competition I dedicate myself more to perfect the technique. A day or two before I stop physical training, to recharge batteries. I use dietary supplements during races to recover more quickly from stress, but also use them in training.

Do you have a coach?

I’m my own coach, agent and driver. I always did this alone. And sometimes it’s complicated: arriving to an airport with 200 kgs of luggage is not easy …

What are your plans for the 2013 season?

I’m already preparing myself intensely. I will not do the Slalom, but otherwise I want to win everything I lost in 2012 … I want to do more and better. I want to do the European and World championships and be among the Top 10 or even win at all. I want to revalidate the Portugal and the Iberian Formula tiltes, and recover the title in Spain, that I’ve won each year since 2004. I’m training hard for the new season, but it all depends on support. And I have a son on the way, so we’ll see what he will let me do …

Are the Olympics on your horizon?

It’s a different class, more technical and more physical. The board is heavier and has keel. It works better on weaker wind, almost like a sailboat. This year (2012), in London, Windsurf was replaced by Kitesurf, but everything has returned back and there will be Windsurfing in Rio de Janeiro, in 2016. I would like to be there, but I had to start adapting now. It is a long process and it takes many endorsements.

Will you start teaching Windsurfing?

Yes. I am putting together a school with Clube Naval de Portimão in the premises of Praia da Rocha. I want to help give dimension to the sport. I’ve already trained children in the summer sports vacations, but now I want to work with them all year round. Besides teaching I want to compete with them. Having a coach that is a reference is a strong motivation and I want to see more champions appear.

Comentários