pub

Campeonato do Mundo de Vela Adaptada

Algarvio Guilherme Ribeiro Top 12 Mundial

Guilherme Ribeiro em Kiel. Algarvio enfrentou mar forte e um novo formato de regata. Fez 12º no Mundial a uma semana de disputar o Campeonato de Portugal (®DR)
Guilherme Ribeiro em Kiel. Algarvio enfrentou mar forte e um novo formato de regata. Fez 12º no Mundial a uma semana de disputar o Campeonato de Portugal (®DR)
pub

Guilherme Ribeiro (Vela Solidária / Iate Clube Marina de Portimão) fez 12º lugar no Campeonato do Mundo de Vela Adaptada, em Kiel, Alemanha. “Participar num Mundial é uma experiência única. Eu era o único português e foi um privilégio estar lá”, comentou o velejador algarvio, ao Swell-Algarve.

O velejador de Portimão, 46 anos de idade, foi a Kiel a convite da World Sailing, entidade gestora da vela mundial. O convite começou por ser para uma clínica (estágio) denominado Programa de Desenvolvimento Paralímpico e estendeu-se depois ao Campeonato do Mundo de Vela Adaptada no mesmo local, nos dias 19 a 25 de junho. A World Sailing pagou tudo aos atletas, num esforço para divulgar a Classe Hansa 303 após o desaparecimento do SKUD 18 e conseguir recolocar a Vela Adaptada no programa dos Jogos Paralímpicos.

O Campeonato do Mundo foi disputado por 26 velejadores, entre os quais os melhores na Classe Hansa 303 individual. Guilherme Ribeiro terminou dentro da metade superior da tabela classificativa e considera que “podia ter sido melhor”. A agitação fortemente desordenada do mar no local, a ponto de atirar um velejador borda fora, ter de navegar sempre com água dentro do barco e o formato ‘gate à popa’ foram os principais obstáculos sentidos pelo velejador de Portimão em Kiel.

Algarvio admite que cometeu erros em Kiel e acredita que podia ter terminado o Mundial dentro do Top 10 (®DR)

Algarvio admite que cometeu erros em Kiel e acredita que podia ter terminado o Mundial dentro do Top 10 (®DR)

“No formato gate à popa são colocadas duas bóias e temos a opção de virar a estibordo ou bombordo. Não utilizamos essa situação em Portugal e eu cometi um erro”, explicou Guilherme Ribeiro. O velejador algarvio falhou a passagem na linha de chegada após passar o ‘gate’ numa das regatas. “Custou-me o 4º lugar, que seria a minha melhor regata. Daí o meu 12º lugar final. Com menos erros teria conseguido o Top 10, talvez o 8º lugar”, comentou o velejador.

“Quero aproveitar esta experiência gigante”, diz Guilherme Ribeiro. E vai ter oportunidade de fazê-lo já a partir de sexta-feira, 31 de junho, no Campeonato de Portugal de Vela Adaptada, em Cascais. Guilherme Ribeiro vai formar equipa com Luís Ramalho em Hansa 303 Duplos. A tripulação de Portimão vai lutar pelo título nacional, mas o 2º lugar no campeonato já lhes garante a manutenção da liderança do ‘ranking’ nacional e o consequente apuramento para o Campeonato da Europa, no Sul de França, em outubro.

O próximo Programa de Desenvolvimento Paralímpico da World Sailing, na Polónia, está fora do horizonte de Guilherme Ribeiro. “Prefiro guardar as minhas férias para ir ao Campeonato da Europa”, justifica o velejador de Portimão. “Haverá mais clinicas no futuro e a World Sailing já me conhece. Outros convites irão surgir”, acredita.

Comentários