pub

Campeão WSL e vencedor do Meo Rip Curl Pro Portugal

John John ‘Coroado’ em Peniche

John John Florence ergue o troféu de Campeão WSL no pódio em Peniche (®WSL/Poullenot/Aquashot)
John John Florence ergue o troféu de Campeão WSL no pódio em Peniche (®WSL/Poullenot/Aquashot)
pub

John John Florence sagrou-se hoje Campeão da World Surf League e venceu o Meo Rip Curl Pro Portugal. ‘Supertubos’, em Peniche, vai ficar marcado no mapa da vida do surfista havaiano como o local onde conquistou o seu primeiro título mundial, que celebrou numa final ganha com um espetáculo de manobras aéreas em modo ‘free surf’, quando já era campeão do mundo, em consequência da eliminação de Jordy Smith nas meias-finais.

Após 5 anos no ’tour’, John John Florence chega onde muitos já o colocavam enquanto melhor ‘free surfer’ do mundo. O bebé de Pipeline cresceu frente a uma das mais famosas e exigentes ondas do planeta e, uma semana depois de completar 24 anos de idade, conquistou o quarto título mundial de surf para o Hawai. Desde Andy Irons, em 2004, nenhum outro havaiano tinha sido Campeão do Mundo de Surf.

O Meo Rip Curl Pro Portugal entra para a História como a prova onde se decidiu um dos mais competitivos ‘championship tours’ de sempre. O circuito termina em Pipeline, em dezembro, mas o campeão decidiu-se já em Portugal, a uma etapa do fim. No início da etapa anterior, em França, havia nove surfistas com hipóteses matemáticas de ser campeão do mundo.

John John Florence após a final, carregado em ombros, um dos quais o do seu 'shaper' Jon Pyzel (WSL/Poullenot/Aquashot)

John John Florence após a final, carregado em ombros, um dos quais o do seu ‘shaper’ Jon Pyzel (WSL/Poullenot/Aquashot)

John John Florence segurou a camisola amarela de líder do ‘ranking’ com uma maturidade impressionante e, um a um, todos os candidatos foram ficando fora da corrida. Gabriel Medina e Matt Wilkinson ficaram de fora já em Portugal. John John Florence só precisava chegar à final em ‘Supertubos’, mas havia ainda a hipótese de Jordy Smith levar a decisão para Pipeline, caso vencesse em Peniche.

A manhã desta terça-feira, 25 de outubro, foi imprópria para cardíacos em Peniche. Estavam apenas por cumprir as meias-finais e a final. John John Florence qualificou-se para a final, ao vencer o destemido Kolohe Andino na primeira bateria do dia. Logo de seguida, Jordy Smith perdeu na segunda meia-final, frente a Conner Coffin; e foi esse o momento em que o havaiano soube que era campeão do mundo.

John John Florence entrou na final já na qualidade de campeão do mundo. Conner Coffin fez o jogo da paciência, à espera das melhores oportunidades para tubos, chegando mesmo a realizar um que lhe valeu 8,60 pontos. John John libertou as emoções, surfou pelo prazer das ondas e não pelo jogo da competição… e deu um autêntico espetáculo de manobras aéreas. Já tinha um par de setes quando fechou a discussão com um vistoso ‘alley-oop’, que lhe valeu 9,50 pontos.

John John Florence com o troféu de campeão do mundo, ao qual junta um prémio de 100 mil dólares e um novíssimo Jeep Wrangler (WSL/Poullenot/Aquashot)

John John Florence com o troféu de campeão do mundo, ao qual junta um prémio de 100 mil dólares e um novíssimo Jeep Wrangler (WSL/Poullenot/Aquashot)

O surfista havaiano começou a época com uma histórica vitória no evento havaiano de ondas grandes Eddie Aikau Invitational e mostrou enorme consistência no Championship Tour da WSL, com duas vitórias (Brasil e Portugal) e duas presenças em finais (J-Bay e Teahupoo). John John Florence é o novo campeão do mundo e, para muitos, este é o primeiro dia de uma nova era no surf de competição.

Comentários