pub

Presidente da ANG explica não participação no Europeu de Optimist

“Vereadora e Pais da Atleta Andaram Mal”

Viktoriya Kononova apurou-se mas não vai ao Europeu de Optimist. Várias circunstâncias ditaram esse desfecho (®DR)
Viktoriya Kononova apurou-se mas não vai ao Europeu de Optimist. Várias circunstâncias ditaram esse desfecho (®DR)
pub

As circunstâncias que levaram a velejadora algarvia Viktoriya Kononova a não participar no Campeonato da Europa da Classe Optimist, que começa amanhã em Itália, revelam um processo em que “a vereadora (do Desporto da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António), os pais da atleta e até o nosso treinador andaram mal”. Quem o diz é o presidente da Associação Naval do Guadiana, Luís Madeira, que apresentou esclarecimentos fundamentados ao Swell-Algarve, após uma primeira notícia com declarações de um técnico do clube e uma explicação oficial fornecida pela autarquia.

Viktoriya Kononova conquistou o apuramento para o Europeu de Optimist no dia 12 de Junho. “Na terça-feira seguinte (dia 14) a mãe da menina e a menina andavam a vender rifas, a fazer peditórios à revelia do clube”, revelou Luís Madeira. Face a essa atitude e porque o clube tinha de encontrar soluções para todos os atletas apurados para representar Portugal no estrangeiro (ver abaixo), o presidente da ANG marcou uma reunião com os encarregados de educação para o sábado seguinte, dia 18 de junho.

Nessa reunião, “os outros pais mostraram-se indignados e a mãe da Viktoriya pediu desculpa”, revelou Luís Madeira. O presidente da ANG soube nessa reunião que os pais de Viktoriya tinham solicitado apoio à autarquia a título individual e que tinham uma reunião marcada na Câmara, para o dia 24 de junho. O clube decidiu esperar pelo desfecho dessa reunião, à qual os pais da atleta não compareceram, revelou o presidente da ANG.

Marcar uma reunião com os pais e esperar pelo desfecho de uma reunião na câmara consumiu duas semanas de um prazo apertado para formalizar pagamentos junto da Associação Portuguesa da Classe Internacional Optimist (APCIO), que geriu a viagem da Equipa de Portugal para Itália.

No dia 27 de junho, o clube formalizou um pedido de ajuda em ofício dirigido à vereadora do Desporto de VRSA, ao qual o Swell-Algarve teve acesso. A ANG apresentou um orçamento global de 6 mil euros, para deslocação de uma atleta ao Europeu de Optimist e de três atletas e um treinador ao Mundial de 4.7, em Kiel, Alemanha. O clube pediu 2 mil euros à autarquia. “A ideia era que um terço das despesas seria assegurado pelo clube, um terço pela autarquia e outro terço pelos pais dos atletas”, explicou Luís Madeira.

“A vereadora foi de férias e não tratou do assunto”, disse o presidente da ANG. “No dia 11 de julho, o chefe de gabinete do senhor presidente de Câmara disse-me, verbalmente, que a autarquia iria dar o apoio pedido. Mas, quando esta resposta veio já não foi possível”, revelou Luís Madeira. O prazo para formalizar pagamentos junto da APCIO terminou no dia 5 de julho e a atleta foi substituída no dia seguinte, por uma velejadora do Porto, na Seleção de Portugal ao Europeu. Em resposta oficial ao Swell-Algarve, a autarquia tinha garantido que o apoio estava formalizado e que o clube deveria esclarecer porque a atleta não foi ao Europeu.

ANG pediu dois mil euros à Câmara VRSA. "Vereadora foi de férias e não tratou do assunto", acusa presidente do clube (®DR)

ANG pediu dois mil euros à Câmara VRSA. “Vereadora foi de férias e não tratou do assunto”, acusa presidente do clube (®DR)

Por essa altura, já os pais de Viktoriya Kononova tinham informado o clube que a filha não iria ao Europeu. O orçamento da deslocação da atleta a Itália ascendia a 3 mil euros, um terço dos quais seriam custeados pelos pais. “A Viki tem 12 anos de idade e mais três anos de Optimist. Ainda é muito nova. Vai ter outras oportunidades”, concorda Luís Madeira.

O presidente da ANG alega que o orçamento da APCIO para levar atletas ao Europeu está “inflacionado”. Luís Madeira não concorda com os valores apresentados e lamenta não ter tido conhecimento atempado desses mesmo valores, admitindo que os mesmos já tinham sido comunicados a um treinador do clube. “Já decidimos que, para o ano, será o clube a tratar das deslocações de velejadores nossos que fiquem apurados”, adiantou o presidente da ANG.

Em síntese, os prazos esgotaram-se porque “a atitude dos pais no início complicou” e porque a “vereadora foi de férias e não tratou do assunto”, mas a atleta também perdeu o interesse porque os valores da deslocação eram muito elevados. “A vereadora, os pais da atleta e até o nosso treinador andaram mal. O único que se portou bem foi o presidente da Câmara”, concluiu Luís Madeira.

João Abrantes não vai ao Mundial 4.7

A Associação Naval do Guadiana tem três atletas apurados para o Campeonato do Mundo da Classe 4.7, em Kiel, Alemanha, nos dias 30 de julho a 7 de agosto. João Abrantes não irá participar no evento, por razões pessoais, revelou Luís Madeira. Mas a participação de Daniela Miranda e de Bruna Carvalho está assegurada, garantiu o presidente da ANG.

O orçamento do clube para a deslocação à Alemanha é de 2.900 euros. A comitiva vai viajar numa carrinha do clube e será composta pelas 2 velejadoras locais e pelo treinador Edgar Pádua e ainda por mais três velejadores apurados, que comparticipam nas despesas: o algarvio André Granadeiro, do Ginásio Clube Naval de Faro; e dois velejadores do Porto.

O presidente da ANG sublinha a logística e custos da viagem à Alemanha como forma sensata de assegurar a participação dos atletas numa prova no estrangeiro, em contraste com os valores elevados da viagem ao Europeu de Optimist organizada pela APCIO.

ANG teve este ano quatro atletas apurados para o Europeu de Optimist (1) e Mundial de 4.7 (®DR)

ANG teve este ano quatro atletas apurados para o Europeu de Optimist (1) e Mundial de 4.7 (®DR)

A necessidade de gerir viagens ao estrangeiro é um sinal de sucesso desportivo. O Algarve apurou este ano 9 atletas para os Europeus e Mundiais de Optimist e de 4.7. Quase metade dessa representação algarvia é constituída por atletas da Associação Naval do Guadiana: Viktoriya Kononova (Europeu de Optimist) e Daniela Miranda, Bruna Carvalho e João Abrantes (Mundial de 4.7), embora Viktoriya e João não cheguem a participar nos eventos para os quais se apuraram.

No Europeu de Optimist, que começa domingo, em Itália, estão os algarvios Beatriz Cintra (Clube Naval de Portimão) e Manuel Fortunato (Clube de Vela de Lagos). No Mundial de Optimist em Vilamoura estiveram Guilherme Cavaco (Ginásio Clube Naval de Faro) e Beatriz Gago (Clube Naval de Portimão) e obtiveram brilhantes resultados. André Granadeiro (GCNFaro) já esteve no Europeu de 4.7 e vai também participar no Mundial da mesma classe.

 

Comentários