pub

Atleta de 14 anos está em estágio com treinador Justin West

Dia de Treino com Michael Conlan

Michael Conlan tem feito treino específico para ser mais crítico no 'lip' (®PauloMarcelino)
Michael Conlan tem feito treino específico para ser mais crítico no 'lip' (®PauloMarcelino)
pub

Domingo, dez da manhã, Vila do Bispo. Ponto de encontro com o jovem surfista Michael Conlan e o treinador Justin West, para dar início à procura do melhor destino para um dia de treino na praia. É o primeiro dia com mar forte desde que o atleta iniciou um estágio intensivo de quatro semanas com vista à sua preparação para o Nacional Esperanças no Porto e para a subida de escalão na próxima época. Aos 14 anos de idade, o surfista de Quarteira/Vilamoura, campeão regional do Sul Sub-14 e Sub-16 está no momento-chave para projetar uma carreira profissional.

A procura conduz-nos à Praia do Amado, concelho de Aljezur, onde a força bruta do mar ainda oferece algumas ondas manobráveis, para quem conseguir passar a rebentação pesada. Michael é cumprimentado por várias pessoas ligadas ao surf assim que chega à praia. É um rapaz sociável e com muita energia, que não passa despercebido onde quer que esteja. Conversa com instrutores de surf e com algumas raparigas e prepara a sua prancha, mas pouco demora até lhe ouvirmos a sua pergunta habitual: “Vamos surfar?”

Michael Conlan e o treinador Justin West iniciaram dia de treino com uma corrida na praia (®PauloMarcelino)

Michael Conlan e o treinador Justin West iniciaram dia de treino com uma corrida na praia (®PauloMarcelino)

Michael Conlan, aka ‘Talibã’, está desde o dia 7 de agosto a viver numa rulote, em Espiche, no terreno da casa rural de Justin West, treinador de surf e preparador físico com 20 anos de experiência. O atleta abandonou o conforto da casa dos pais para um estágio radical de quatro semanas, um autêntico campo de treino, 24 sobre 24 horas. O estágio termina após a Final Nacional Esperanças Sub-16 e Sub-18, no Porto, dias 5 e 6 de setembro, onde Michael vai competir em Sub-16 e acompanhado por Justin West.

“Vou três vezes por semana ao ginásio e faço seis horas de surf por dia”, diz o surfista, ao Swell-Algarve. “Ele cuida do seu material de surf e prepara a sua comida, porque isso é o que fazem os surfistas profissionais”, complementa Justin West, 42 anos, treinador que coloca muito ênfase na preparação física e nutrição dos atletas.

Duna serviu de ginásio para aquecimento forte antes da primeira surfada do dia (®PauloMarcelino)

Duna serviu de ginásio para aquecimento forte antes da primeira surfada do dia (®PauloMarcelino)

As condições do mar no Amado estão apetecíveis. É o primeiro dia de ‘swell’ forte no Algarve este verão. Mas, antes de ‘atacar’ as ondas é necessário realizar um aquecimento… mais intenso que os habituais alongamentos à beira-mar. Michael e Justin correm pela praia, até à extremidade sul, onde encontram uma duna íngreme que sobem várias vezes e em passo de corrida. Cada descida é feita aos saltos, com rotações de corpo no ar ou flexão de pernas na aterragem.

“Tenho treinado muito ‘bottom turns’, ataques mais fortes e verticais ao ‘lip’ e aéreos”, revela o surfista. “Ele está a aprender a usar mais o ‘rail’ nas manobras, a ser suave e pronunciado no ‘bottom’ e mais explosivo no ‘lip. Também insistimos nos aéreos, porque são o futuro do surf'”, confirma o treinador. As rotações de corpo e flexões de pernas em seco são fundamentais para ganhar controlo de técnica de movimento e força para conseguir um surf mais fluído e expressivo.

Atleta e treinador estiveram juntos na água (®PauloMarcelino)

Atleta e treinador estiveram juntos na água (®PauloMarcelino)

Michael e Justin entram na água ao princípio da tarde, numa fase da maré em que o mar estava mais pesado. A sessão durou cerca de duas horas e a lição mais importante terá sido a escolha das ondas. É um dos aspetos que contribui para desenvolver a inteligência dos surfistas na água, juntamente com a melhor fluidez possível nas ondas. E o desenvolvimento dessa inteligência, da capacidade de melhor aproveitar as oportunidades e as ondas é um dos objetivos do estágio.

Depois da sessão de surf, é tempo de restabelecer energias com fruta e sumos e refletir na areia sobre a performance no mar. “O Michael tem uma grande atitude no treino; está sempre disponível e absorve tudo como uma esponja.  Ele precisa ser mais inteligente a surfar e trabalhar mais compressão de joelhos e aéreos”, comenta o treinador.

Justin West é adepto de artes marciais e utiliza essa filosofia no treino de surf. Controlo corporal, preparação física, cuidados nutritivos, muito treino no mar e ganhar o hábito de ter sempre o material de surf em ótimas condições. Este é o fio condutor do estágio. “O objetivo imediato é a final no Porto. Mas, a longo prazo, esta é a aprendizagem para criar um atleta profissional”, justifica o treinador.

Treino com bola… que pesa cinco quilos (®PauloMarcelino)

Treino com bola… que pesa cinco quilos (®PauloMarcelino)

Michael está irrequieto. “Vamos surfar?”, insiste. O mar está menos intenso e Michael quer fazer aéreos. Mas, antes de nova sessão nas ondas é preciso fazer mais uma sessão de treino físico na areia. Desta vez é usada uma bola… que pesa cinco quilos. Atleta e treinador atiram a bola um para o outro, com rotações de corpo, flexões de braços e de pernas em cada lançamento.

Passados poucos minutos, a bola parece ter aumentado de peso. Há uma pausa… para fazer exercícios de abdominais e a sessão de ‘aquecimento’ termina com uma simulação de combate de Jiu Jitsu, que deixa o atleta ofegante. Michael recupera o ritmo respiratório em poucos minutos e volta a entrar na água, já com o sol próximo da linha de horizonte.

Última surfada do dia terminou pelas 20h00 (®PauloMarcelino)

Última surfada do dia terminou pelas 20h00 (®PauloMarcelino)

O atleta termina a sessão de surf pelas oito da noite, mas o dia de treino ainda não está concluído. No regresso à base, há que cuidar do material de surf e preparar o jantar. Michael já nem precisa da consola de jogos. O cansaço do treino e a informação recebida durante o dia pedem descanso. Até porque amanhã será mais um dia de treino intenso.

Patrocínio Conrad Algarve

Michael Conlan recebeu um novo patrocínio, essencial para poder fazer o estágio com Justin West. O atleta recebeu o apoio do Conrad Algarve, hotel de 5 estrelas em Vilamoura, o que constitui um interessante sinal de aproximação da indústria hoteleira ao surf no Algarve. “Somos recentes no Algarve e estamos muito ligados à comunidade. Como fazemos com o golf e outros desportos, queremos promover jovens talentos, para que cresçam connosco. O surf é muito conhecido em Portugal e daí esta aposta no jovem talento local”, comentou Joachim Hartl, diretor do Conrad Algarve, para o Swell-Algarve.

Michael Conlan vai disputar a final Nacional Esperanças Sub-16, no Porto, dias 5 e 6 de setembro (®PauloMarcelino)

Michael Conlan vai disputar a final Nacional Esperanças Sub-16, no Porto, dias 5 e 6 de setembro (®PauloMarcelino)

Atleta do Portimão Surf Clube

Michael Conlan é atleta de surf federado pelo Portimão Surf Clube. Foi no clube de Portimão, sob a orientação técnica do experiente surfista Francisco Canelas, que Michael Conlan evoluiu de entusiasta talentoso para competidor eficiente, o que lhe permitiu conquistar este ano os títulos de campeão regional Sub-14 e Sub-16.

Apoio dos pais

Durante o dia de treino que acompanhámos no Amado, Michael Conlan recebeu a visita dos pais. A mãe Filipa e o pai Michael são grandes apoiantes do atleta. Michael filho jogou futebol e praticou skate, antes de se decidir pelo surf, seguindo as pisadas do pai Michael, que já surfou em todo o Mundo e que, aos 67 anos, ainda leva a sua Longboard para as ondas. “No Porto, pode ganhar, ou não. Mas queremos que tenha uma preparação ao nível do que melhor se faz em Portugal, para estar em igualdade com os adversários”, comenta a mãe.

Comentários